Guilherme de Pádua casa-se na sexta-feira pela igreja

Ator brasileiro matou, ao lado da então mulher Paula Thomaz, a atriz Daniella Perez, com quem contracenava na telenovela "De Corpo e Alma", de 1992. Noiva é estilista de Belo Horizonte

Guilherme de Pádua e Juliana Lacerda, já unidos pelo registo civil há dois meses, casam-se amanhã num ato religioso em Belo Horizonte - a notícia seria banal, não fosse Pádua conhecido no Brasil por ter assassinado Daniella Perez, colega com quem contracenava na telenovela De Corpo e Alma, de 1992, escrita pela mãe da atriz, Glória Perez.

Juliana Lacerda, maquilhadora formada em moda e frequentadora, como Guilherme, da igreja Batista de Lagoínha, em Belo Horizonte, falou à imprensa sobre o matrimónio. "Desde o início, sabia quem ele era e nunca me preocupei com o passado, porque na igreja ele é acompanhado há 17 anos por muitos pastores sérios e sei do histórico dele, sei também que o Guilherme realmente mudou desde que se converteu, conheço muitas pessoas que o acompanharam todos esses anos e por isso não me preocupei, e claro que sei das perseguições que ele sofre pelos media e pela sociedade, mas isso não me abala hoje, pois já pensei muito sobre isso e estou disposta a enfrentar com ele todas situações", disse ao jornal Extra.

Após o crime, perpetrado ao lado da então mulher Paula Nogueira Thomaz, o ator foi condenado por homicídio qualificado por motivo torpe a 19 anos e seis meses, dos quais cumpriu um terço da pena, seis anos. Em liberdade, passou a frequentar a Igreja Batista de Lagoínha, casando-se em 2006 com Paula Maia, de quem se viria a separar entretanto. Antes de conhecer Juliana, em ações pastorais da igreja, tentou publicar um livro sobre, segundo o próprio, "a verdade do crime" de 1992 mas foi impedido por uma ação em tribunal de Gloria Perez.

"Na verdade fiquei atraída por ele por ser uma pessoa muito cativante, é muito voltado à obra de Deus, preocupa-se com todos e tem um coração enorme", diz Juliana, que tinha seis anos à data do crime, na mesma entrevista. "Para mim não adianta remexer em algo que não pode ser mudado. Preciso ter a certeza de quem ele é hoje, porque é hoje que estou com ele e não no passado".

A motivação do crime, segundo a acusação, foi "inveja, cobiça e vingança". A versão do promotor público dada como provada em tribunal afirmava que Pádua tentou seduzir, sem êxito, Perez, então casada com o também ator Raul Gazzola. Como na sequência verificou que a sua personagem ficaria dois episódios seguidos sem cenas, acreditou que a atriz havia feito queixa das investidas à mãe, que em retaliação diminuiria o seu papel.

Com a então mulher Paula, hoje também em liberdade e a viver no Rio de Janeiro, perseguiu Daniella de carro, agrediu-a com socos, atingiu-a com 18 golpes de tesoura e abandonou o corpo num matagal na região da Barra da Tijuca, no Rio.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG