Comentários homofóbicos deixam cantora debaixo de fogo

A cantora de gospel Kim Burrell chama os homossexuais de "pervertidos" e diz que "envergonham o reino de Deus". Declarações estão a gerar uma onda de críticas

Um vídeo com um discurso de Kim Burrell durante uma cerimónia religiosa na Igreja Love & Liberty Fellowship, em Houston, nos EUA, deixou a cantora de gospel debaixo de fogo. Na filmagem, a artista, que participa da banda sonora do filme Elementos Secretos ao lado de Pharrell Williams, chama os homossexuais de "pervertidos" e diz que "envergonham o reino de Deus", entre outros comentários homofóbicos.

A gravação foi partilhada nas redes sociais, com muitos internautas a insurgirem-se contra a cantora e outros a recordarem que Burrell, de 44 anos, trabalhou em tempos com o cantor bissexual Frank Ocean. Além disso, está previsto a atuação da artista num dos próximos programas de Ellen Degeneres, homossexual e defensora dos direitos da comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgénero).

Mais tarde, Kim Burrell publicou nas redes sociais um vídeo em que diz que as suas intenções foram mal interpretadas e as suas palavras distorcidas. "A todas as pessoas que estão a lidar com o espírito da homossexualidade, aquelas que o têm, eu amo-as porque Deus as ama. Mas Deus odeia o pecado e tudo o que é contra a sua natureza (...). Na igreja temos a responsabilidade de representar o Deus todo-poderoso", diz Burrell.

"Eu nunca disse que os gays vão para o inferno", diz ainda a cantora. "Eu sei que as pessoas vão ficar zangadas... mas tenho de fazer o que Deus me manda e eu sou apaixonada pelo que faço. Quando as pessoas nos levam a peito, especialmente pessoas que nunca se conheceram, sabemos que é o inimigo que está por detrás", acrescenta.

A justificação incendiou ainda mais aqueles que seguem a cantora, que sublinhou ainda não "pedir desculpa" pelos seus comentários.

Entre as várias mensagens deixadas no Facebook e no Twitter, está a de Pharrell Williams, que nunca mencionou o nome da colega, mas condenou "todos os discurso de ódio de qualquer natureza".

A finalizar, Kim Burrell regressou às redes sociais para falar uma "última vez" sobre o caso. "Estão a atacar uma pessoa que não vos está a atacar", diz. "Todos dizem que me apoiam. Eu ainda não vendi um milhão de discos. Onde é que vocês estão todos? Ainda não ganhei um Grammy. Onde é que está o apoio?", pergunta.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG