Atriz dissidente da Cientologia traça retrato negro de Tom Cruise

No seu livro, Leah Remini revela que o ator tem mau feitio, é mimado e vive obcecado pela igreja

É mais uma polémica a juntar-se ao já longo rol da cientologia. A atriz Leah Remini, que abandonou a igreja em julho de 2013 após ter estado ligada à mesma durante 30 anos, lançou o livro Troublemaker: Surviving Hollywood and Scientology no qual faz várias revelações sobre aquilo a que assistiu quando pertencia àquela comunidade. A estrela da série King of Queens não se ficou por aqui e também recordou alguns momentos protagonizados pelos membros mais proeminentes desta igreja, tais como Tom Cruise, de quem fez um retrato bastante diferente da simpática imagem que o ator norte-americano passa para o público.

Um dos episódios mais marcantes que Leah Remini recorda no seu livro aconteceu na altura do casamento de Tom Cruise e Katie Holmes, que se realizou no dia 17 de novembro de 2006, em Roma. Na altura, os dois atores, que atualmente estão divorciados, já eram pais de Suri, que tinha apenas 7 meses de vida. Mas no meio do enlace digno de um conto de fadas Leah Remini garante ter assistido a um momento chocante quando foi à casa de banho. "Quando abri a porta encontrei três mulheres, incluindo a irmã e a assistente do Tom, que estavam especadas a olhar para a bebé, que estava deitada no chão. Ao invés de falarem com ela com uma voz suave, não paravam de dizer: "Suri! Suri!" num tom que parecia que estavam a falar com um adulto", alega a atriz no seu livro, no qual revela ainda o que terá dito em seguida às três mulheres. "O que é que estão a fazer? É uma bebé! Levantem-na!"

Mas há mais detalhes sobre o casamento de Tom e Katie que são descritos no livro Troublemaker: Surviving Hollywood and Scientology. Para ser convidada para o casamento, Leah Remini teve de convencer a melhor amiga, a cantora Jennifer Lopez, e o na altura marido, Marc Anthony, a estarem presentes na cerimónia quando nem sequer eram íntimos dos noivos. E a atriz vai mais longe, afirmando que o casamento de Tom e Katie foi um "negócio" para a igreja da cientologia. "De uma forma muito calculista, a igreja mostrou através das fotografias dos Beckham, da Jennifer Lopez e do Marc Anthony que estas personalidades estavam associadas ao casamento, logo associadas também à cientologia", acusa.

Um milhão para conhecer Cruise

As farpas a Tom Cruise não se ficam por aqui. A atriz, de 45 anos, revela no seu livro que teve de pagar um milhão de dólares (cerca de 900 mil euros) à Associação Internacional da Cientologia para conhecer o astro de Hollywood. "O simples facto de eu estar apta para estar na presença do Tom foi um grande elogio. Ele não era simplesmente uma estrela do cinema, era também um dos pilares da igreja", constata Leah Remini.

O Tom parece uma criança a quem nunca disseram um não.

Nem a vida profissional do astro de Hollywood escapa às críticas da atriz, que no seu livro garante que Tom Cruise tem mau feitio. Leah Remini revela que Cruise terá gritado com um assistente porque não conseguia encontrar massa de bolachas pré-embalada. Numa outra ocasião, o ator terá ficado chateado por lhe terem servido chá numa caneca rachada. "O Tom parece uma criança a quem nunca disseram um não", destaca a antiga estrela da série King of Queens.

No meio de tantas críticas, Leah Remini também faz elogios... mas à ex-mulher de Tom Cruise. Nicole Kidman foi considerada uma "pessoa supressiva", o que no léxico da cientologia representa um inimigo para a comunidade. A atriz acabou por abandonar a igreja, o que motivou Leah Remini a seguir o seu exemplo. "A ex-mulher do Tom Cruise foi o meu anjo da guarda. Apesar de nunca a ter conhecido, ou tentado, pensei muito nela. À noite, enquanto olhava para o teto escuro, sem conseguir dormir, dizia a mim mesma: "Lembra-te da Nicole Kidman. Ela foi declarada uma pessoa supressiva, abandonou a igreja e está bem. A carreira dela continua, tem um marido e uma família."

As considerações de Leah Remini não têm sido bem recebidas por alguns dos membros da cientologia. A atriz Kristie Alley, que entrou para a igreja em 1979, deixou de falar com Leah Remini e, em entrevista a Howard Stern, acusou a colega de profissão de ser uma pessoa "repulsiva" e "intolerante".

A igreja da cientologia emitiu um comunicado a comentar as revelações feitas pela atriz no livro Troublemaker: Surviving Hollywood and Scientology. "Não nos surpreende que alguém tão egocêntrico como a Leah Remini, com uma necessidade de atenção insaciável, explore a antiga fé como manobra de publicidade." Tom Cruise ainda não reagiu às acusações de que é alvo neste livro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG