Venezuela: Pedidos de nacionalidade portuguesa em solo venezuelano sobem 82,6%

O número de pedidos de nacionalidade portuguesa de cidadãos venezuelanos em consulados na Venezuela foi de 8.299 até outubro, a que corresponde aumento de 82,6% relativamente a 2017, segundo dados do Instituto dos Registos e Notariado.

O registo de pedidos de descendentes de portugueses nos consulados gerais de Portugal em Caracas e Valência e nos oito departamentos públicos honorários espalhados pela Venezuela de janeiro a outubro deste ano fixou-se em 8.299, mais 3.755 do que o total em 2017, que fechou com 4.544 requerimentos.

O aumento superior a 80% de descendentes de portugueses com pedidos de nacionalidade, para que possam residir em Portugal, é uma realidade com o agravamento das condições de vida na Venezuela, a atravessar uma crise política, económica e social desde 2015.

Desde 2014 que se mantém a tendência de subida de pedidos de filhos de pais portugueses ou de apenas mãe portuguesa ou pai português. Nesse ano, os consulados na Venezuela receberam 2.469 pedidos de nacionalidade.

Em 2015, 2.528 cidadãos venezuelanos declararam querer a nacionalidade portuguesa, enquanto houve um aumento de 568 pedidos no ano seguinte, fixando-se o total em 3.096.

Em 2011 (4.256 pedidos), houve um aumento relativamente a 2010 (3.729), 2012 (3.032) e 2013 (2.735).

A Venezuela enfrenta desde 2015 uma grave crise política, económica e social que está a levar cidadãos daquele país sul-americano a abandonar o país.

Em outubro, a Assembleia Nacional da Venezuela, no qual a oposição ao Governo de Nicolás Maduro tem maioria, indicou que a inflação subiu 148,2% em outubro, atingindo 833.997% nos dois últimos anos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG