Trovoadas no verão: porque acontecem e que cuidados devemos ter

Nos próximos dois dias mantêm-se as condições para a ocorrência de trovoadas em Portugal, mas dificilmente com a intensidade a que assistimos na segunda-feira à noite.

Na noite de segunda-feira a região de Portugal continental assistiu à ocorrência de várias trovoadas. Muitos relâmpagos iluminaram o céu, acompanhados à distância pelo ribombar dos trovões. Apesar de com menos intensidade, as trovoadas prolongaram-se pelo dia de terça-feira em alguns pontos do país.

Paula Leitão, meteorologista do IPMA - Instituto Português do Mar e da Atmosfera, explica ao DN este fenómeno:

A que se deve este fenómenos das trovoadas de verão?

As trovoadas são bastante frequentes nesta altura do ano. O ar está muito quente junto ao solo e o vento sopra de sul, do lado do mar, com muita humidade. Então, o ar quente e húmido sobe rapidamente, encontrando níveis bem mais baixos. Condensa e formam-se nuvens muito densas. Estas nuvens têm um desenvolvimento vertical, o que é propício à formação de trovoadas (os raios são descargas elétricas - a libertação de energia ocorre por causa das mudanças abruptas de temperatura do ar) e à queda de granizo a chuva. Muitas vezes, essa chuva não chega ao solo, devido ao calor que se faz sentir. Mas também pode haver uma chuva muito forte. Quando ocorre precipitação é em áreas muito pequenas.

Até quando é que vamos ter condições propícias à formação de trovoadas em Portugal?

É difícil fazer uma previsão com exatidão da hora e do local em que vai acontecer uma trovoada, são fenómenos muito instáveis. Mas podemos dizer que amanhã [quarta] e, sobretudo, na quinta, ainda haverá condições para a ocorrência de trovoadas, sobretudo no interior do país. A partir de sexta-feira o vento passará a soprar do norte e já não haverá condições para tal.

Há motivos para ter medo das trovoadas?

Uma descarga elétrica pode ser perigosa - se cair numa casa pode provocar danos graves, se cair numa zona florestal pode provocar um incêndio. A probabilidade de ser atingido por um raio é muito baixa mas convém tomar alguns cuidados: nunca nos devemos abrigar de uma trovoada junto de uma árvore nem junto da água, porque são locais que atraem as descargas elétricas. Isto é muito importante. Durante uma trovoada, as pessoas não devem tomar banho no mar ou nos rios.

Mais Notícias