Seleccionados os primeiros 138 refugiados vindos do Egipto

Os primeiros refugiados que Portugal vai receber do Egito já estão selecionados. São famílias na maioria, com o máximo de seis pessoas cada uma, 138 no total, maioritariamente da Síria e do Sudão.

Os refugiados foram entrevistados por uma equipa conjunta do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e do Alto Comissariado para as Migrações (ACM) que se deslocou ao Egito na segunda semana de julho. Isto, depois de terem feito uma primeira triagem em Lisboa.

A maioria são famílias, com um máximo de seis pessoas por agregado. Serão 138 pessoas no total (mais 15 do que inicialmente previsto), das quais 68 adultos e 70 menores acompanhados dos respetivos progenitores. A maioria dos adultos tem entre os 18 e 40 anos e, os menores. Idade inferior a 15 anos.

É a resposta portuguesa a um pedido da Comissão Europeia aos Estados membros para que recebam 50 mil refugiados até outubro de 2019.

Portugal vai receber 1010 imigrantes reinstalados até outubro de 2019

Os migrantes fugiram dos países de origem por medo de perseguição de natureza étnica, política, religiosa, de orientação sexual e de conflitos armados, as situações em que podem ter acesso a asilo. Vêm ao abrigo do Programa de Reinstalação do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e serão os primeiros que Portugal decidiu reinstalar de um lote de 1010 vindos do Egito e da Turquia.

"O número de candidatos entrevistados nesta primeira missão superou o inicialmente previsto, dado o interesse manifestado pelos refugiados no Egito em iniciarem uma nova etapa das suas vidas em Portugal e por terem sido conseguidos tempos de execução das tarefas e metas estabelecidas, bastante eficazes por parte do SEF, em complementaridade com o ACNUR no Cairo", referem os responsáveis do SEF.

Os técnicos realizaram entrevistas e recolheram dados biométricos e documentais, estando previstas novas deslocações ao Egito e à Turquia.

Segundo o SEF, Portugal tornou-se o terceiro país do mundo que mais acolhe refugiados reinstalados a partir do Egito, atrás do Reino Unido e do Canadá.

A reinstalação consiste num processo de transferência de refugiados reconhecidos pelo ACNUR de um país que não o de origem (país terceiro) para outro Estado. E funciona através da adesão voluntária para os refugiados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG