SEF deteve no Porto suspeito de envolvimento na morte do rapper Mota Jr.

Vinha de Londres e foi detido durante uma operação de controlo por parte do SEF. Suspeito tem 26 anos, foi entregue à Polícia Judiciária e é esta quarta-feira presente a tribunal.

Os inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras detiveram esta terça-feira (26 de maio) no Aeroporto Francisco Sá Carneiro (Porto) um dos suspeitos de envolvimento na morte do rapper Mota Jr., cujo corpo foi encontrado no passado dia 18 numa zona de mato em Sesimbra.

De acordo com o SEF o homem de 26 anos detido e entregue à Polícia Judiciária esta tarde está a ser "investigado pelos crimes de roubo, sequestro e provável homicídio", além de ser alvo de um mandado de captura e detenção para ser extraditado para Portugal.

Segundo as informações disponibilizadas pelo SEF aconteceu no decorrer "de um controlo de fronteira efetuado a um voo proveniente de Stansted, Londres".

Também a Polícia Judiciária já confirmou esta detenção. Em comunicado divulgado ao final desta tarde a Unidade Nacional Contra Terrorismo explica que a investigação ao homicídio é liderada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Sintra e que o suspeito "entrou em Portugal ao final da manhã, em voo proveniente do Reino Unido, tendo sido detetado aquando do controlo fronteiriço efetuado pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, que de imediato alertou a Policia Judiciária".

Ainda de acordo com a PJ o "detido será presente, amanhã, às competentes autoridades judiciárias para efeito de primeiro interrogatório judicial de arguido detido e aplicação de medida de coação, tida por adequada".

David Mota, conhecido como Mota Jr., estava desaparecido desde meados de março e o corpo foi encontrado em Sesimbra no dia 18 deste mês. O cadáver estava em avançado estado de decomposição.

O rapper de 28 anos estava desaparecido desde 15 de março. Na altura, foi noticiado que David Mota teria sido sequestrado à porta de casa, em São Marcos, Cacém (Sintra). Segundo foi então avançado teria recebido uma chamada telefónica para descer até à porta do prédio, quando era 01.00.

David Mota era o mais novo de três irmãos. A mãe e uma das irmãs prestaram declarações na Polícia Judiciária em Lisboa, tendo nesse mesmo dia, segundo a TVI, sido assaltada a casa da família, que se encontrava sem ninguém.

A mãe revelou que David teria uma bolsa com pertences, entre eles, a chave de casa, quando foi raptado. Terá sido assim que os assaltantes tiveram acesso às chaves para entrar na habitação.

Mais Notícias