Prisão preventiva para suspeito da morte de Bruno Candé

O suspeito da morte do ator Bruno Candé, que morreu baleado no sábado em Moscavide, concelho de Loures, vai aguardar o julgamento em prisão preventiva, adiantou hoje à agência Lusa fonte judicial.

Segundo a mesma fonte, o homem de 76 anos foi ouvido esta manhã no Tribunal de Loures (distrito de Lisboa), tendo-se "remetido ao silêncio". Num comunicado divulgado no sábado, a família de Bruno Candé Marques referiu que o ator "foi alvejado à queima-roupa, com quatro tiros, na rua principal de Moscavide", e que "o seu assassino já o havia ameaçado de morte três dias antes, proferindo vários insultos racistas".

A família mencionou que a vítima, de 39 anos, era ator da companhia de teatro Casa Conveniente desde 2010, tendo participado em telenovelas.

Também no sábado, a PSP informou,, sem identificar a vítima, que um homem morreu após ter sido baleado em várias partes do corpo por outro homem com cerca de 80 anos, na Avenida de Moscavide, adiantando que o suspeito tinha sido detido e que a arma de fogo tinha sido apreendida.

Mais Notícias