Eutanásia entre as palavras mais pesquisadas de 2018

Eutanásia, desembargador, arguido, tiroteio, gentrificação e peculato são algumas das 24 palavras relativas a temas da atualidade política, económica e social mais pesquisadas por milhões de utilizadores no dicionário Priberam, em 2018, foi hoje divulgado.

Este é o segundo ano consecutivo em que o dicionário Priberam e a Agência Lusa se associam numa iniciativa para o 'site' O Ano em Palavras, no qual as palavras mais pesquisadas ilustram os principais eventos que marcaram cada um dos meses do ano que agora chega ao fim.

O 'site' está estruturado com as palavras apresentadas cronologicamente, de janeiro a dezembro e, para cada palavra, é possível aceder ao seu significado no Dicionário Priberam bem como ao artigo da Lusa sobre o evento que motivou as pesquisas, explica a Priberam, em comunicado.

Para este projeto, foram recolhidas as palavras que, devido ao elevado número de pesquisas diárias, "ganharam destaque na nuvem do dicionário ao longo do ano".

A partir desta "nuvem", os editores da Lusa escolheram as duas que consideraram mais relevantes em cada mês, em termos da atualidade nacional e internacional.

Assim, entre as mais de duas centenas de palavras que estiveram no topo das consultas no Dicionário Priberam, foram selecionadas 24 (por ordem cronológica): vetar, desembargador, lóbi, sistemática, bicefalia, arguido, milícias, messianismo, penta, eutanásia, desnuclearização, trivela, peculato, gentrificação, porto seguro, respeito, acervo, húbris, mito, ministro, armistício, aviltante, revogar e tiroteio.

Outras palavras que ocuparam também lugar de destaque nas pesquisas dos utilizadores do dicionário Priberam foram cacique, interstício, subversiva, mulher, inelegível, exumação, triatleta, esfaqueamento, fascismo e democracia, chapo, coscuvilhice e aluimento foram outras das palavras de temas da atualidade mais pesquisadas.

Neste ano, o Dicionário Priberam mudou também de domínio, para dicionario.priberam.org, que justifica com o facto de a maioria dos acessos não ser de Portugal, "refletindo assim o número de falantes da língua espalhados por todo o mundo".

A Priberam assinala ainda que os recordes de consultas no Dicionário Priberam voltaram a ser batidos, com cerca de 132 milhões de pesquisas desde janeiro de 2018 e um total de quase 37 milhões de consulentes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG