Portugal com mais sete mortos por covid-19. Alentejo regista segundo óbito

O boletim da Direção-Geral da Saúde dá conta de mais 283 novos casos de infeção por causa do novo coronavírus.

Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram sete pessoas, uma subida em relação ao dia anterior, no qual se tinha registado uma única vítima. A maioria desses óbitos (cinco) ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, sendo que o Alentejo registou a segunda vítima mortal desde o início da pandemia.

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste sábado (13 de junho) indica que foram confirmados mais 283 casos de covid-19 (um aumento de 0,8% face ao dia anterior).

Desde que a pandemia começou registaram-se 36 463 infetados, 22 438 recuperados (mais 238) e 1512 vítimas mortais no país.

A taxa de letalidade global por covid-19 em Portugal é de 4,1%. Já acima dos 70 anos a taxa é de 17,4%, segundo o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, na conferência de imprensa da DGS deste sábado, que anunciou ainda que dos profissionais de saúde infetados, 83% recuperaram e já voltaram ao trabalho

Os maiores focos de novas infeções foram registados na região de Lisboa e Vale do Tejo, com 215 novos casos e mais cinco mortes por causa do covid-19, o, que corresponde a 76% de novas infeções de todo o país, registando-se um aumento de quase o dobro de casos em relação à média do país.

Algarve sem novas infeções

Apenas 68 dos novos infetados do último dia não residem na zona da Grande Lisboa e estão distribuídos pelo Norte (mais 42 infetados e um morto), pelo Centro (22 infetados) e Alentejo (4 infetados e um morto). Aliás, a região alentejana contabilizou o segundo óbito por covid-19 desde o início da pandemia. Açores, Madeira e Algarve não revelam nenhuma alteração à sua situação epidemiológica do dia anterior.

Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, esclareceu que relativamente a uma possível cadeia de transmissão de covid-19 num bairro piscatório de Espinho, "tudo indica que será um surto circunscrito". "Foram feitos 54 testes, dos quais 14 deram resultado positivo", acrescentou.

Nas últimas 24 horas, registaram-se menos 12 pessoas internadas, sendo agora 428 doentes, sendo que destes 77 encontram-se nos cuidados intensivos (mais quatro). A maioria estará nos hospitais da Grande Lisboa.

O boletim da DGS indica ainda que aguardam resultados laboratoriais 1516 pessoas e estão em vigilância pelas autoridades de saúde.

Uma das questões levantadas nas últimas horas por um estudo do worldometers, segundo o qual Portugal era o segundo país com maior número de novos casos positivos da União Europeia, só atrás da Suécia, o secretário de Estado, António Sales, lembrou que "estamos perante uma maratona".

"Isto não é uma disputa entre países. É antes um exercício coletivo onde todos temos a aprender com todos. A nossa estratégia passa por proteger faixas mais vulneráveis", explicou o governante, que referiu ainda que a incidência em pessoas acima dos 65 anos baixou de 36% para 31,3%.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG