PJ faz buscas na Universidade Nova. Bacelar Gouveia constituído arguido

O professor de Direito Constitucional é suspeito de ter atribuído doutoramentos a alunos dos PALOP a troco de contrapartidas.

O constitucionalista Jorge Bacelar Gouveia, docente na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, foi constituído arguido no denominado processo Tutti-Frutti, que investiga alegados crimes de corrupção e tráfico de influências, relacionados com a atribuição de doutoramentos a alunos dos PALOP a troco de contrapartidas. A notícia foi avançada esta segunda-feira pela SIC Notícias, revelando mesmo a existência de buscas na universidade, que entretanto se constituiu assistente no processo crime.

Em comunicado, divulgado pelo jornal Expresso, a Faculdade Direito da Universidade Nova de Lisboa confirmou as buscas da Polícia Judiciária e declarou-se "totalmente disponível para colaborar com as autoridades no apuramento da verdade".

"Nos últimos dois anos, algumas situações levantaram dúvidas sobre a conduta do professor Jorge Bacelar Gouveia. Em duas ocasiões, chegou, inclusivamente, a avançar com participações disciplinares por violação dos deveres de informação, de zelo, de lealdade e de correção. Contudo, jamais foi considerada a possibilidade de ter praticado atos suspeitos de constituir crime", pode ler-se no comunicado da direção da faculdade.

"Trata-se de um constitucionalista de elevada notoriedade na sociedade portuguesa e no mundo lusófono em geral, também Presidente do Conselho Científico desta Faculdade e coordenador de ciclos de estudos não nucleares, além dos muitos cargos de responsabilidade que desempenhou e nalguns casos ainda desempenha fora desta instituição. São cargos que pressupõem a mais elevada idoneidade de quem os ocupa", acrescenta o comunicado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG