Número de detidos por crime de desobediência à quarentena sobe para 69

Desde o dia 22 de março, dia em que saiu o Decreto do Estado de Emergência, já foram encerrados 1509 estabelecimentos por incumprimento.

Portugal chegou este sábado aos 100 mortos por coronavírus e superou os cinco mil infetados. Números que não prendem em casa tantos portugueses como era esperado e desejado pelas autoridades de saúde. Até às 18.00 deste sábado, segundo números do Ministério da Administração Interna (MAI), "foram detidas 69 pessoas, por crime de desobediência, designadamente por violação da obrigação de confinamento obrigatório e por outras situações de desobediência ou resistência".

Este sábado muitos portugueses saíram de casa. Em Lisboa, muitos pegaram no carro e tentaram passar a Ponte 25 de Abril, rumo à zona de praias, tendo sido mandados parar um a um. No entanto, segundo o MAI, o número de detidos até agora "não se referem a operações de fiscalização rodoviária, ou outras, realizadas ao longo do dia de hoje [sábado]".

Os números refletem sim, o incumprimento do Decreto que regulamenta o Estado de Emergência, em vigor desde ‪as 00.00 do dia 22 de março. Desde então, além da detenção de quase sete dezenas de cidadãos, a Guarda Nacional Republicana e a Polícia de Segurança Pública têm vindo a desenvolver uma intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população.

No mesmo período, foram encerrados 1509 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

O Ministério da Administração Interna, "perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da COVID-19, insiste no cumprimento rigoroso das medidas impostas pelo Estado de Emergência". E lembra que, a partir deste sábado, as Forças de Segurança intensificaram a fiscalização até à Páscoa, de forma a impedir deslocações.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG