Nove concelhos sem casos em 14 dias. Paços de Ferreira e Lousada são os que têm maior incidência

A região Norte é a que está a ser mais afetada pela pandemia de covid-19, sendo que em Paços de Ferreira a taxa de incidência cumulativa a 14 dias supera os 3600 casos por 100 mil habitantes, refere o boletim epidemiológico da DGS que reporta ao período entre 28 de outubro e 10 de novembro.

Paços de Ferreira é o concelho que tem o risco mais elevado de transmissão de covid-19 ao ter uma taxa de incidência cumulativa a 14 dias de 3698 casos por 100 mil habitantes, segundo os dados do boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde (DGS) desta segunda-feira, que reportam ao período entre 28 de outubro e 10 de novembro.

Pela primeira vez, a autoridade da saúde indica a incidência cumulativa de infeção por município e além de Paços de Ferreira também o concelho de Lousada se destaca pela negativa ao registar 3362 novos casos em 14 dias por 100 mil habitantes.

Estes são dois dos 191 municípios abrangidos pelas medidas mais restritivas do estado de emergência. Nesta lista estão incluídos os concelhos que superam os 240 casos por 100 mil habitantes numa taxa de incidência cumulativa a 14 dias.

De referir que a nível nacional este indicador situa-se nos 760 casos por 100 mil habitantes, afirmou hoje a diretora-geral da Saúde na conferência de imprensa sobre a evolução da pandemia no nosso país. Uma taxa de incidência que coloca Portugal em 10º lugar na lista de países europeus.

"Há, como todos sabem, assimetrias regionais. A região Norte, com 1304 casos por 100 mil habitantes, continua a ser a mais afetada", detalhou Graça Freitas. Mantém-se, por isso, "uma tendência epidémica crescente".

De salientar que Paços de Ferreira e Lousada foram, a par com Felgueiras, os concelhos do distrito do Porto que foram alvo de medidas mais restritivas aplicadas a 23 de outubro. Foi a partir desta data que o Governo decretou o dever de permanência no domicílio, a proibição de quaisquer celebrações e eventos com mais de cinco pessoas (salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar) entre outras restrições de combate à propagação do novo coronavírus.

Monchique é o único concelho do continente sem casos entre 28 de outubro e 10 de novembro

Vizela, no distrito de Braga, com 2653 novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias, entre 28 de outubro e 10 de novembro, o terceiro concelho com o risco mais elevado de contágio. Segue-se Manteigas (2627 novos casos por 100 mil habitantes), Paredes (2132) e Penafiel (2055).

Do outro lado da tabela estão nove concelhos que não reportaram novos casos durante os 14 dias a que se refere o período do boletim da DGS. Entre eles está Monchique, no Algarve e o único que fica no continente.

Os restantes concelhos situam-se nos Açores - Calheta, Lajes das Flores, Lajes do Pico, Madalena, Stª Cruz das Flores e Vila do Corvo - e na Madeira - Porto Moniz e S. Vicente.

Os dados por município agora divulgados têm por base a incidência cumulativa a 14 dias, o que "corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada, por concelho, a 31 de dezembro de 2019, pelo Instituto Nacional de Estatística. Habitualmente é expressa em número de casos por 100.000 habitantes", explica a DGS no boletim epidemiológico.

Os dados da autoridade de saúde indicam ainda que Portugal registou um novo recorde de mortes em 24 horas. O relatório da DGS refere que morreram mais 91 pessoas devido à covid-19 elevando para 3472 o número de óbitos desde o início da pandemia.

Há mais 3996 casos confirmados da doença, totalizando agora 225 672 infeções. Registam-se ainda, no total, 142 155 recuperados da covid-19.

Perante estes dados, Portugal tem, atualmente, 80 045 casos ativos da doença.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG