Mais de 500 ocorrências na segunda-feira por causa de depressão Bárbara

A Proteção Civil registou 510 ocorrências em Portugal continental na segunda-feira, na sequência da passagem da depressão Bárbara, com Lisboa a ser o distrito mais afetado pelo mau tempo.

"Nas últimas 24 horas, que correspondem ao início do estado de alerta [da Proteção Civil] para a depressão Bárbara registaram-se 510 ocorrências", disse esta terça-feira à agência Lusa fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

Estas ocorrências são, maioritariamente, "inundações, quedas de árvores, limpezas de via e quedas de estruturas".

O distrito de Lisboa é o mais afetado pelo mau tempo, com 171 ocorrências do total contabilizado, seguido pelo de Setúbal (67), Coimbra e Guarda (ambas com 37), Leiria e Santarém (ambas com 36).

"Estes seis distritos totalizaram 75% da atividade registada no território" continental, referiu a mesma fonte, acrescentando que "não há registo de vítimas".

Os únicos danos a registar foram, por exemplo, caves ou garagens inundadas, especificou a Proteção Civil.

A ANEPC prevê "um desagravamento" da situação meteorológica durante a madrugada de hoje, mas, "a partir das 09:00, deverá haver um novo agravamento".

Um comunicado do IPMA prevê que "às 12 UTC (13 horas no continente) de dia 20 de outubro, a depressão Bárbara esteja localizada em 38°N 10.6°W, a cerca de 150 km a sudoeste de Lisboa, e que atravesse as regiões Norte e Centro durante a tarde, atingindo a Galiza no final do dia".

"Neste momento, prevê-se que a depressão Bárbara tenha uma maior influência na precipitação, com valores acumulados de 60 a 90 mm entre as 12 e 18 h de dia 20 nos distritos de Lisboa, Setúbal, Santarém, Castelo Branco e Portalegre, com especial impacto em regiões urbanas", acrescenta a nota.

Para hoje, dia 20, também se prevê uma descida da temperatura máxima, que irá variar aproximadamente entre 14 e 21°C.

Os distritos de Lisboa, Santarém, Setúbal, Portalegre, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra e Porto estão em estado de alerta especial laranja (o segundo mais grave da escala) a partir das 00:00 de hoje por causa da chuva forte e do vento.

No sistema de Proteção Civil, o estado de alerta especial laranja significa que o grau de risco é elevado, sendo expectável uma situação de perigo com condições para a ocorrência de fenómenos invulgares que podem causar danos a pessoas e bens, colocando em causa a sua segurança.

Este estado vai durar até às 23:59 de quarta-feira.

Condições meteorológicas vão agravar-se, cinco distritos sob aviso vermelho devido à previsão de chuva forte

Os distritos de Lisboa, Setúbal, Santarém, Portalegre e Castelo Branco estão também hoje sob aviso meteorológico vermelho, o mais grave, devido à previsão de chuva forte, na sequência da passagem da depressão Bárbara, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro vai estar em vigor nos cinco distritos entre as 12:00 e as 18:00 de hoje.

O aviso vermelho corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo. Nesta situação, o IPMA recomenda que as pessoas se mantenham ao corrente da evolução das condições meteorológicas e sigam as orientações da proteção civil.

Portugal continental está sob o efeito da depressão Bárbara, que dará origem a precipitação forte, aumento da intensidade do vento com rajadas até 100 quilómetros por hora e até 130 quilómetros por hora nas terras altas e agitação marítima, em especial na costa da região sul.

O IPMA colocou também a ilha da Madeira sob aviso laranja até às 18:00 de hoje devido à previsão de vento forte de sudoeste com rajadas até 130 quilómetros por hora.

No arquipélago dos Açores, as ilhas Graciosa, S. Jorge, Faial, Pico e Terceira (grupo Central) estão sob aviso amarelo devido à previsão de precipitação forte, podendo ser acompanhada de trovoada entre 00:00 e as 20:00 de hoje.

*com Lusa

Mais Notícias