Madeira tem mais dois casos e eleva para 53 o número de positivos

Um emigrante que regressou do Reino Unido e um residente que esteve em Moçambique são os dois novos casos de covid-19 na Madeira, informou o Instituto de Administração da Saúde da região.

O arquipélago da Madeira registou esta terça-feira mais dois casos de infeções por covid-19, elevando para 53 o número de casos positivos, anunciou hoje o Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE) da região.

Dos 53 casos identificados na região (na segunda-feira não foram identificados casos), contudo, apenas 51 são ativos porque dois, entretanto, foram considerados recuperados.

"Desde ontem [segunda-feira] há dois novos casos positivos a reportar totalizando agora 53 casos positivos identificados na Região Autónoma da Madeira, mantendo-se dois casos já recuperados o que significa que temos 51 casos positivos ativos", anunciou a vice-presidente do IASAÚDE, Bruna Gouveia.

Segundo o IASAÚDE, os dois novos casos são importados, sendo um deles um emigrante na faixa etária dos 50 a 59 anos com residência no concelho de Santa Cruz, que regressou do Reino Unido no dia 19 de março, e o outro, na faixa etária entre os 20 a 29 anos, um residente no concelho de Câmara de Lobos que esteve em Moçambique e regressou à região em 31 de março.

Estes dois novos casos cumpriam, e continuam a cumprir, isolamento no domicílio e no hotel Vila Galé, com acompanhamento das autoridades de saúde dos respetivos concelhos.

"Tratam-se, então, de dois casos com proveniência de regiões onde há casos positivos de covid-19 que estiveram em quarentena obrigatória, foram acompanhados e foram testados antes da finalização do período de isolamento", especificou Bruna Gouveia.

242 pessoas estão em vigilância ativa

O doente que se encontra nos cuidados intensivos da unidade para covid-19 no Hospital Dr. Nélio Mendonça "mantém-se estável", estando os restantes nos domicílios ou nas unidades hoteleiras designadas para o covid-19, adiantou a vice-presidente do IASAÚDE.

Bruna Gouveia revelou ainda que o Serviço Regional de Saúde já realizou 1.131 testes à covid-19, que estão em vigilância ativa 242 pessoas e 262 pessoas em vigilância passiva.

A Linha SRS24 recebeu esta terça-feira 59 chamadas, apresentando um total cumulativo de 5.704 chamadas desde 27 de janeiro.

Criação da Linha Idoso

Entretanto, o Serviço Regional de Saúde da Madeira (SESARAM) anunciou esta terça-feira a criação da 'Linha Idoso' e apelou às famílias para manterem os familiares idosos nos respetivos domicílios, assegurando apoio domiciliário clínico após a alta.

"No atual contexto pandémico, os serviços não podem manter as altas problemáticas em camas hospitalares, nem no Serviço de Urgência do Hospital Nélio Mendonça [Funchal], o que acarreta riscos acrescidos devido à covid-19, tanto para os utentes como para os profissionais", refere, em comunicado, o Sesaram.

O Serviço Regional de Saúde adianta que "assegurará o apoio domiciliário médico, após a alta clínica", tendo para o efeito criado uma linha de apoio específica, a 'Linha Idoso', disponível através do número 969 320 822.

O Sesaram especifica ainda que "os cuidados de enfermagem necessários também estão assegurados" e que, "em articulação com a Cruz Vermelha Portuguesa, se necessário for, e de acordo com as necessidades económicas, será ativado o apoio do banco de ajudas técnicas com empréstimo de cama articulada, colchão anti-escaras e cadeira de rodas e andadeiras".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 120 mil mortos e infetou mais de 1,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, cerca de 402 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 567 mortos, mais 32 do que na segunda-feira (+6,%), e 17.448 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 514 (+3%).

Dos infetados, 1.227 estão internados, 218 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 347 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.

Mais Notícias