Lotação da Festa do Avante! terá de ser inferior à capacidade total, diz a ministra

Marta Temido defendeu nesta quarta-feira que a lotação da Festa do Avante!, organizada pelo PCP, terá neste ano de ser inferior à capacidade máxima de cem mil pessoas do recinto no Seixal por causa da covid-19.

"É evidente que estamos a falar, teremos de falar de outros números", declarou Marta Temido na conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia, acrescentando: "Compreendo que se fale de um número de cem mil, na medida do que será a licença de utilização, mas estamos num momento específico, num contexto específico."

A ministra assegurou que à organização da Festa do Avante! "não será permitido o que está proibido nem proibido o que está permitido", além de que "não haverá exceções" às regras adotadas pelas autoridades de saúde para conter o contágio pelo novo coronavírus.

"Ninguém entenderia que corrêssemos riscos adicionais por uma circunstância de tratamento especial, mas também ninguém entenderia que impuséssemos deveres adicionais àquilo que são as regras específicas com as quais temos estado a trabalhar em áreas como a restauração, os transportes públicos ou os eventos culturais", salientou Marta Temido.

Na organização da Festa do Avante!, que além de iniciativa política inclui tradicionalmente concertos, exposições, debates, espaços de restauração e espaços de campismo para os espectadores, tem havido reuniões de responsáveis do PCP com técnicos da Direção-Geral da Saúde.

"Aquilo que procuraremos fazer, em termos técnicos, é a aferição das condições que o promotor do evento tem para cada uma dessas áreas face àquilo que são as regras definidas pela Direção-Geral da Saúde", acrescentou.

Marta Temido acrescentou que o contexto específico para a realização da festa "será considerado e foi já considerado pelos promotores" no diálogo que mantêm desde segunda-feira com a DGS, quando se realizou a primeira reunião técnica entre ambas as partes.

Na conferência de imprensa de apresentação da Festa do Avante! deste ano, no passado dia 4, o principal responsável da organização, Alexandre Araújo, garantiu que serão cumpridas escrupulosamente as regras de distanciamento e higiene impostas pelas autoridades.

O dirigente do PCP confirmou que a venda de bebidas alcoólicas, por exemplo, vai respeitar "legislação e regras em vigor", pois "neste momento é proibida a sua venda depois das 20.00, à exceção de estabelecimentos de restauração", e será isso que se vai passar nas quintas da Atalaia e do Cabo da Marinha, Amora, Seixal, entre 4 e 6 de setembro.

Contudo, evitou adiantar números de bilhetes já vendidos, qualquer previsão de visitantes ou esclarecer se vai haver um limite à entrada de pessoas no recinto, cuja lotação máxima é de cem mil pessoas.

Mais Notícias