Lisboa. Cabeleireiro aberto e com vários clientes foi encerrado pela polícia

O atual Estado de Emergência só prevê a abertura de estabelecimentos considerados essenciais, excluindo cabeleireiros. O espaço em causa estava de portas fechadas, mas com clientes lá dentro.

Um cabeleireiro situado próximo da Avenida de Liberdade, em Lisboa, foi esta sexta-feira encerrado por agentes da PSP, por violar o previsto no Estado de Emergência em vigor. Como avançado pelo Jornal de Notícias , o estabelecimento estaria a funcionar com vários clientes, embora de portas fechadas.

A denúncia foi feita por vizinhos, esta manhã. De acordo com o jornal, as autoridades não detiveram nenhum indivíduo presente nem fizeram qualquer levantamento de auto de notícia, depois de a proprietária ter acatado a ordem.

Segundo as normas do Estado de Emergência atualmente em vigor, só é permitida a abertura de espaços que forneçam bens essenciais. Nesta lista, estabelecimentos como cabeleireiros estão excluídos e devem, por isso, encerrar os seus serviços. O Estado de Emergência vigora até 17 de abril e, segundo declaração desta sexta-feira do Presidente da República, deverá ser prolongado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG