Há muita gente a querer adotar os galgos de João Moura: "No sábado parecia o 13 de Maio"

Nove dos 18 galgos que a GNR retirou a João Moura estão no abrigo Cantinho da Milu, em Palmela. A associação diz que há muita gente a querer adotar os cães, mas lembra que ainda estão a recuperar - uns têm febre da carraça, outros anemia e todos estão muito frágeis.

São os telefonemas, visitas, muita gente a querer saber dos galgos retirados pela GNR ao cavaleiro João Moura. E são muitas as pessoas a mostrar disponibilidade para adotar os cães mal tratados que foram acolhidos no Cantinho da Milu, no concelho de Palmela, um dos maiores abrigos de animais do país. "No sábado, parecia o 13 de Maio", diz Emília Silva, que todos conhecem por Milu.

"É muita gente a querer adotá-los, mas não damos nenhum para adoção enquanto não estiverem bem. Estão muito frágeis, desnutridos, alguns têm febre da carraça e vão fazer o tratamento", conta Milu ao DN, lembrado que tem mais quase 800 cães para adotar no Cantinho. E embora reconheça que muita gente ficou chocada com as imagens dos animais mal tratados e quer mesmo ajudar, não deixa de lamentar que muitos tenham ido ver os galgos só por curiosidade e por todo o burburinho mediático que o caso gerou.

Há até quem peça a Milu para lhe reservar os galgos. A mentora da associação diz que não o faz e lembra que se os critérios para dar um animal para adoção são rigorosos, neste caso terão "cuidados a triplicar". "Há os amigos, dos amigos, dos amigos, não sei se alguma dessas pessoas é amiga do João Moura."

Os galgos chegaram escanzelados, com os ossos quase a furar-lhes a pele tal o estado de desnutrição em que se encontram. Na mesma box, estão atualmente oito animais a recuperar. Uma cadela está internada numa clínica em Brejos de Azeitão e outro animal não resistiu à viagem desde Monforte, distrito de Portalegre, e morreu à porta do Cantinho da Milu. A cargo da associação ficaram 9 dos 18 cães retirados pela GNR ao cavaleiro depois de uma denúncia de maus-tratos a animais.

Numa atualização sobre o estado de saúde dos cães, feito sábado à noite na página do Facebook, o Cantinho da Milu dá conta de que alguns galgos têm uma forte anemia, outros deram positivo à febre da carraça. Mas todos deram negativo à leishmaniose e à dirofilariose. "Os meninos estão a ser bem alimentados com uma ração de qualidade e suplementos/vitaminas. Já foram desparasitados e microchipados."

Quando estiverem recuperados, serão vacinados e esterilizados - aliás, nenhum animal sai para adoção do Cantinho da Milu sem este procedimento.

Mais de oito mil euros em donativos

O Cantinho da Milua gradece os donativos que lhe chegaram neste espaço de tempo - cerca de 8700 euros - mas faz questão de lembrar que "todos os donativos angariados serão obviamente utilizados para tratar dos nove galgos, mas também dos restantes 750 animais a nosso cargo".

Noutro post, o Cantinho da Milú escreve: "Sim, são muitos animais.... muitas despesas fixas para manter um abrigo com esta dimensão com condições dignas para estes animais que já passaram por muito na vida. Se eles falassem."

João Moura, de 59 anos, foi detido na quarta-feira passada por alegado crime de maus-tratos a animais, mas acabou por sair em liberdade. Em declarações ao blog O Farpas disse estar de consciência tranquila. "Não matei ninguém, não roubei ninguém, não tratei mal os meus cães, alguns estavam magros, mas não os tratei mal!"

Segundo o código penal, o crime de maus-tratos a animais é punível com uma pena de prisão até dois anos ou uma multa até 240 dias.

O cavaleiro nunca contactou Milu para saber dos galgos. E ela agradece porque, garante, não iria ser simpática. "Dizia-lhe. 'você é um monstro!'"

Mais Notícias

Outras Notícias GMG