Encontrado corpo de jovem desaparecido desde domingo no Tejo

O rapaz, de 13 anos, estava desaparecido no Tejo, zona da Ponta dos Corvos, no Seixal, desde a tarde de domingo.

O corpo do jovem desaparecido no Tejo, na zona da Ponta dos Corvos, no Seixal, foi encontrado às 07.50 desta segunda-feira, disse à Lusa fonte da Autoridade Marítima Nacional (AMN). Foi identificado e transportado ao Hospital Garcia de Orta, em Almada, indicou nesta segunda-feira a Autoridade Marítima Nacional (AMN).

Em comunicado, a AMN refere que as buscas para encontrar o jovem tinham sido retomadas nesta segunda-feira de manhã, tendo o corpo sido localizado pelas 07.50 a cerca de 20 metros de um pontão na zona da Ponta dos Corvos, Seixal, distrito de Setúbal.

"O corpo foi depois retirado da água e transportado para o Terminal Fluvial do Seixal, onde foi identificado, sendo posteriormente transportado o Hospital Garcia de Orta", precisa a AMN.

O jovem desapareceu no domingo à tarde no rio Tejo, na zona da Ponta dos Corvos, no Seixal, quando ia a banhos.

De acordo com um comunicado da Autoridade Marítima Nacional, o alerta foi recebido cerca das 17.00, através do Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Lisboa (MRCC Lisboa).

"Ao que tudo indica, trata-se do corpo do jovem desaparecido, mas ainda carece de identificação", disse.

A fonte da AMN adiantou ainda que o corpo foi encontrado por mergulhadores a 20 metros do pontão dos Corvos, onde o jovem terá desaparecido.

Aos jornalistas, no local, o comandante da capitania do Porto de Lisboa, Diogo Branco, referiu que o corpo do jovem foi encontrado a "cerca de 15 a 20 metros do cais, no fundo [do rio], preso a um cabo".

É possível que o rapaz tenha mergulhado, ficado preso no cabo e não tenha conseguido libertar-se, referiu ainda comandante.

As buscas para encontrar o jovem naquela região do distrito de Setúbal, tinham sido interrompidas ao pôr-do-sol e retomadas hoje às 06.30.

Nas operações estiveram envolvidas uma mota de água e uma embarcação da Estação Salva-vidas de Lisboa e uma embarcação do comando local da Polícia Marítima de Lisboa para assegurar a interdição da área onde o Grupo de Mergulho Forense da Polícia Marítima e os mergulhadores dos Bombeiros Voluntários de Cacilhas efetuaram as operações de mergulho.

Estiveram também empenhadas embarcações dos Bombeiros da Amora, dos Bombeiros Voluntários de Cacilhas e dos Bombeiros do Seixal, e ainda uma embarcação da Associação Municipal do Seixal.

A ajudar as buscas por terras esteve uma equipa da Polícia Marítima e o elementos do Gabinete de Psicologia da Polícia Marítima, que prestaram apoio aos familiares do jovem.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG