Desconfinamento. Estudo indica que pouco mais de metade dos portugueses já saiu à rua

Os dias úteis 4 de maio (49,6%) e 30 de abril (46,2%) foram os dias de menor confinamento em casa, desde o dia da declaração do Estado de Emergência, aponta o estudo.

Os portugueses estão a sair de casa, mas com alguma contenção. Esta é a conclusão de um estudo de comportamento divulgado esta terça-feira, segundo dia últil após o fim do estado de emergência, que terminou no sábado, 2 de maio.

De acordo com o estudo de mobilidade da PSE - que se baseia na monitorização de uma app instalada nos telemóveis do grupo de amostra - correspondente a quase 7 milhões de portugueses (ler ficha técnica no fim) - 50,4% da população já saiu à rua, mas tal significa que a outra metade dos portugueses permaneceram em casa. Os dados são referentes aos dias 30 de abril e 4 de maio, os últimos dois dias úteis.

No primeiro de maio, uma sexta-feira, Dia do Trabalhador e feriado nacional,, 64% dos portugueses ficaram em casa, enquanto que no fim-de-semana o número desceu para 59%.

Os dias úteis 4 de maio (49,6%) e 30 de abril (46,2%) foram os dias de menor confinamento em casa, desde o dia da declaração do Estado de Emergência, aponta o estudo.

"A tendência é para o desconfinamento tanto em dias úteis como em fins-de-semana, mas de forma suave, por agora", são as conclusões.

Nesta segunda-feira, o confinamento caiu -10.2% quando comparado com a segunda-feira anterior, algo que se explica pelo facto de o estado de emergência ter terminado no sábado, dia 2, tendo o país entrado formalmente em estado de calamidade.

As medidas adicionais de limitação à mobilidade no fim de semana prolongado surtiram efeito, em especial no feriado, apura também o estudo.

"O dia quente de 3 de maio aumentou o desconfinamento, mas de forma ligeira, pois ainda 59% dos portugueses optaram por ficar em casa", refere ainda o comunicado da PSE enviado às redações.

Nota técnica (PSE): Este estudo é o painel da PSE, com recolha de dados contínua através de monitorização de localização e meios de deslocação via aplicação móvel de um painel de indivíduos representativos do Universo com mais de 15 anos, residente nas regiões do Grande Porto, Grande Lisboa, Litoral Norte, Litoral Centro e Distrito de Faro. Este estudo implica uma APP instalada nos telemóveis da amostra participante. Assim monitorizamos a deslocação real da população, em cada hora do dia. Este estudo é realizado 24 horas por dia. Os dados são obtidos de forma rigorosa, via GPS e com o consentimento da amostra monitorizada. Para um universo de 6.996.113 indivíduos residentes nas regiões estudadas a margem de erro imputável ao estudo é de 1.62% para um intervalo de confiança de 95%.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG