Cabrita pede inquérito a tiroteio com GNR que matou civil

Eduardo Cabrita pede inquérito a incidente no concelho do Seixal que matou uma pessoa e deixou feridos dois militares da GNR.

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, determinou à Inspeção Geral da Administração Interna (IGAI) "a instauração de um processo de inquérito" para apurar "eventuais responsabilidades relacionados com a ocorrência policial verificada ontem, em Fernão Ferro, concelho do Seixal".

O incidente "envolveu militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) e civis, com utilização de armas de fogo". Uma pessoa morreu e dois militares da GNR ficaram feridos.

O militar da GNR que foi, terça-feira, baleado no abdómen numa troca de tiros em Fernão Ferro, Seixal, foi operado e não corre perigo de vida. Ao que o JN apurou, foi-lhe removida parte do intestino no bloco operatório do Hospital Garcia de Orta.

De acordo com o JN, tudo aconteceu quando um militar do Posto Territorial de Coruche acompanhava o colega do Núcleo de Investigação Criminal para executar um mandado de detenção emitido pelo Tribunal de Santarém.

O suspeito foi abordado pelos militares numa superfície comercial de Fernão Ferro para cumprimento de pena de prisão por roubos e reagiu disparando contra o militar de 32 anos, atingindo-o no peito.

O homem de 43 anos, cuja última residência conhecida era em Sesimbra, colocou-se depois em fuga, atingiu o segundo militar numa perna e foi mortalmente abatido no parque de estacionamento do estabelecimento comercial.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG