Brasileiros de passagem em Portugal esperam por ajuda

A Embaixada do Brasil em Lisboa decidiu criar um canal de comunicação para tentar resolver o problema de um número ainda não definido de brasileiros, que pode chegar a dois mil, que não consegue voltar para o Brasil.

A restrição de voos internacionais entre os dois países, provocada pela pandemia do covid-19, gerou um cenário de incerteza e desespero entre os brasileiros, muitos deles turistas, apanhados pelo encerramento das fronteiras em plenas férias.
Parte destes brasileiros estava entre os 1800 passageiros do cruzeiro que deixou o Brasil há duas semanas, com previsão de chegar a Lisboa. A proibição de desembarque de paquetes nos portos portugueses - uma das medidas de restrição imposta pela pandemia - forçou o desembarque em Cádiz e o percurso entre a cidade espanhola em a capital portuguesa foi feito em dezenas de autocarros, ainda antes do fecho das fronteiras terrestres com a Espanha.

Os turistas, entretanto, depararam-se com o cancelamento dos voos para várias cidades brasileiras. As partidas para o Brasil estão limitadas para o Rio de Janeiro e São Paulo, e quem tem como destino outros aeroportos - como Recife, Salvador, Brasília e Belo Horizonte - não sabe como nem quando pode chegar ao destino.


Além da redução dos destinos e da quantidade de voos, outro problema tem sido o aumento do valor das passagens. O bilhete para São Paulo, que custava cerca de 400 euros, está a ser vendido a 2.423,60 euros para partidas nesta sexta-feira. Ainda há opções para esta quinta-feira com destino ao Rio de Janeiro, por 2.927,90.

Na última terça-feira, os brasileiros nesta situação procuraram a Embaixada do Brasil em Lisboa. Num vídeo postado no YouTube, disseram que a embaixada afirmou não ter meios de ajudá-los no regresso. Nesta quinta-feira, porém, a Embaixada do Brasil informou que recebeu uma comitiva formada por 30 pessoas para explicar as medidas que estão a ser tomadas.

A Embaixada do Brasil revelou que há um gabinete de crise em Brasília em negociação com as companhias aéreas para viabilizar o regresso dos brasileiros. O problema consiste em saber quantos e quem são os brasileiros. A Embaixada estima que o número oscile entre 500 e 2 mil pessoas nestas condições.

Para ter uma ideia do tamanho exato do problema, a Embaixada Brasileira disponibilizou o email cg.lisboa@itamaray.gov.br, para que os brasileiros em situação crítica possam deixar o nome e o contacto. A representação diplomática ainda orientou para que se evitem as aglomerações em frente ao prédio consular. Mais informações serão divulgadas nas redes sociais, no Facebook (@embaixadadobrasilemportugal) e no Instagram (@brasilemlisboa).

A Embaixada do Brasil informou ainda que está em contacto com as autoridades portuguesas a fim de minimizar os problemas dos brasileiros enquanto a situação não for definida, principalmente em relação à alimentação e hospedagem.

Recomendações da DGS:


Para evitar que a epidemia se espalhe a DGS reforça os conselhos relativos à prevenção: evitar contacto próximo com pessoas que demonstrem sinais de infeção respiratória aguda, lavar frequentemente as mãos, evitar contacto com animais, tapar o nariz e a boca quando espirra ou tosse e lavar as mãos de seguida pelo menos durante 20 segundos.

Em caso de apresentar sintomas coincidentes com os do vírus (febre, tosse, dificuldade respiratória), a autoridade de saúde pede que não se desloque às urgências, mas para ligar para a Linha SNS 24 (808 24 24 24).

A tosse é o sintoma mais frequente (65%) entre os casos confirmados, seguida de febre (46%), dores musculares (40%), cefaleia (37%), fraqueza generalizada (24%) e, por último, dificuldades respiratórias (10%).

Mais Notícias