"Temos de aprender com o que aconteceu". 2 mortos e 6 feridos graves em acidente com Alfa pendular

Ministro dos Transportes dirigiu-se ao local. Alfa pendular descarrilou esta sexta-feira em Soure, perto de Coimbra, quando seguia viagem no sentido Sul-Norte. No comboio seguiam 212 passageiros.

Um Alfa pendular descarrilou esta sexta-feira na Linha do Norte em Soure, perto de Coimbra, quando seguia viagem no sentido Sul-Norte. No comboio seguiam 212 passageiros, de acordo com o presidente da Junta de Freguesia de Soure, Santos Mota., em declarações ao DN.

O descarrilamento do comboio Alfa Pendular, na linha do Norte, após colidir com uma máquina de trabalhos da Infraestruturas de Portugal, provocou dois mortos, sete feridos graves e 36 feridos ligeiros, disse o comandante distrital de operações de Coimbra, Carlos Luís Tavares, que fazia um ponto de situação no local.

De acordo com o comandante, as duas vítimas mortais eram os únicos ocupantes da máquina da Infraestruturas de Portugal.

O Alfa Pendular seguia no sentido Sul-Norte, saiu de Santa Apolónia, em Lisboa, às 14:00, e tinha como destino final Braga. O acidente ocorreu perto da vila de Soure, mais concretamente junto à localidade de Matas, na região Centro.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, está no local do acidente.

"A resposta [ao acidente] foi rápida e adequada, infelizmente o acidente deixa marcas; deixou duas mortes e vários feridos", disse o ministro.

"Acreditamos e apostamos na ferrovia. Temos de aprender com o que aconteceu. Não está em causa a operação ferroviária em Portugal. O Alfa Pendular é uma máquina muito moderna, a sinalização também, é tecnologia avançada. Temos de perceber o que aconteceu e aguardar pelo relatório [da investigação ao acidente]", reforçou Pedro Nuno Santos.

Na origem do acidente estará o choque frontal entre a composição e uma máquina de manutenção que operava na linha.

"Essa máquina estava no sítio errado. O Alfa passa aqui a uma alta velocidade", disse ao DN o presidente da junta de Soure, acrescentando que o acidente aconteceu muito perto da estação - e da vila - e que os moradores próximos "ouviram um grande estrondo".

"Pensei que ia morrer. As pessoas gritavam e deitavam-se no chão"

Os passageiros que seguiam no Alfa Pendular foram levados para um hospital de campanha no pavilhão municipal de Soure.

A mesma testemunha relatou ao DN os momentos de pânico que se viveram no interior da composição, no momento do embate, com os passageiros a gritarem: "Todos para o chão".

"Pensei que ia morrer. A carruagem demorou uns 10 ou 15 segundos a parar. As pessoas gritavam e deitavam-se no chão. Depois, a carruagem começou a encher-se de poeira", contou.

"Ficámos presos no interior da carruagem, porque as portas ficaram destruídas. Alguém conseguiu partir uma delas e começámos a sair e a ajudar outras pessoas a sair", descreveu.

Pelo menos duas carruagens - as primeiras - saltaram dos carris.

O alerta foi dado às 15.35 e os bombeiros de Soure estão no local. Foram mobilizados 176 operacionais, apoiados por 69 viaturas e dois meios aéreos.

Muitas pessoas foram retiradas da composição com a ajuda dos bombeiros.

A Guarda Nacional Republicada (GNR) também está no local para levar a cabo o corte de vias, para facilitar a a evacuação dos feridos.

Marcelo lamenta acidente e vai visitar vítimas amanhã

Marcelo Rebelo de Sousa lamentou "o grave acidente ferroviário" e diz que já foi instaurado um inquérito para tentar apurar o que aconteceu, disse o Presidente da República ao telefone com a Sic Notícias.

No site da Presidência da República Portuguesa, pode ler-se que "o Presidente da República lamenta o grave acidente ferroviário desta tarde na Linha do Norte, de cujos detalhes foi informado pelo Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, apresentando sentidas condolências aos familiares e amigos das vítimas mortais e desejando rápidas melhoras aos numerosos feridos, aguardando os resultados das investigações técnicas e judiciais".

Segundo fonte do gabinete da presidência da Câmara de Soure, no distrito de Coimbra, os médicos e enfermeiros, que se deslocaram voluntariamente para o local, "estão a receber as pessoas, a maioria sem ferimentos, mas também alguns feridos muito ligeiros".

No local está igualmente presente uma equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), responsável pela triagem e apoio psicológico dos passageiros que para ali foram transportados.

"Os [profissionais de saúde] voluntários têm feito pequenos tratamentos, algumas suturas e ligaduras", indicou.

De acordo com a mesma fonte, os passageiros que estão no pavilhão multiúsos serão ainda hoje transportados de autocarro para a estação ferroviária de Alfarelos, na localidade de Granja do Ulmeiro, localizada a cerca de 15 quilómetros de Soure, "para seguirem viagem, de comboio, para os seus destinos".

Costa refere "trágico acidente" no Twitter e diz acompanhar situação

O primeiro-ministro, António Costa, também apresentou hoje "as mais sentidas condolências às famílias e amigos" das vítimas do "trágico acidente" que envolveu um comboio Alfa Pendular, e disse estar a acompanhar a evolução da situação "em permanência".

"Apresento as mais sentidas condolências às famílias e amigos dos funcionários da IP vítimas do trágico acidente ferroviário que ocorreu hoje na linha do Norte, em Soure", distrito de Coimbra, escreveu o primeiro-ministro na sua conta oficial na rede social 'Twitter'.

António Costa informou que está "a acompanhar em permanência o evoluir da situação" e indicou que, "tal como foi anunciado pelo Ministro das Infraestruturas e Habitação, já foi aberto um inquérito para o apuramento rápido das causas e responsabilidades deste grave acidente", que lamenta "profundamente".

"Desejo também rápidas melhoras aos feridos e dirijo uma palavra de solidariedade para todos aqueles que trabalham nos equipamentos e infraestruturas ferroviárias e que prestam um serviço inestimável aos portugueses", acrescenta a nota do primeiro-ministro.

GPIAA vai investigar o descarrilamento do Alfa pendular

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) vai investigar o descarrilamento do Alfa Pendular ocorrido hoje, em Soure, distrito de Coimbra, que causou, pelo menos, dois mortos.

Fonte do GPIAAF disse à agência Lusa que a equipa de investigação já está a caminho do local para dar início às investigações e apurar as circunstâncias em que se deu o acidente.

O comandante distrital da Proteção Civil, Carlos Tavares, disse anteriormente à Lusa que o descarrilamento causou dois mortos e sete feridos graves, acrescentado que todos os feridos já foram retirados das carruagens e transportados para o Hospital de Coimbra.

O comboio seguia no sentido Sul-Norte e o descarrilamento ocorreu após o embate entre o Alfa Pendular e uma máquina de trabalho, tendo o alerta sido dado às 15:30, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

Mais Notícias