A matança da marca Portugal

O massacre da Herdade da Torre Bela, onde 16 "animais", chacinaram 540 animais, acendeu em mim uma espécie de concentrado de revolta, que a idade me vai custando conter.

O futuro de Portugal está em causa e esta foi a gota de água que fez transbordar a minha consciência, face à posição pública e política que temos de ter perante o país.

Não podemos continuar a deixar que passem impunes: crimes, injustiças, barbáries e desvios de milhões de euros para interesses particulares, e continuar a aceitar aumentos de violência ou de impostos para todos e facilidades para os que as podem comprar.

O massacre da Torre Bela, organizado pela escabrosa empresa espanhola Monteros de la cabra, mostra-nos uma síntese de tudo isso.

Portugal é uma nação bela, mas continua a atrair muitos monstros, cruéis, pedantes, dispostos a matar por prazer e neste caso, pela limpeza de um terreno que irá, ou espero, iria, dar lugar a uma central fotovoltaica.

Parece uma história de um farwest, inacreditável e que fere gravemente a marca de Portugal no mundo.

Porque acho que o nosso património comum, não pode ser manchado pelos interesses deixo aqui um apelo para que usemos todos os meios para "matar" as licenças que permitem olhar para o desenvolvimento do país desta forma, tão abrutalhada. Temos de ter voz perante actos desta natureza. Temos de identificar e denunciar os culpados e neste casos julgá-los também em praça pública, pois é aqui que se ganha ou perde reputação.

A marca de um país não é apenas uma questão de nacionalismo, é uma questão de identidade e do impacto que a mesma tem na economia.

Estamos num momento vital para a valorização da nossa marca País.

Precisamos de captar as melhores pessoas, precisamos de investimento, precisamos que os nossos produtos e serviços valham mais; precisamos que o made in Portugal, o invest in Portugal, o visit Portugal e sobretudo o live in Portugal valham muito mais !

Precisamos de estancar a pobreza e partir para o enriquecimento do país como um todo.

Não queremos ser um couto espanhol, de caça à economia, sem qualquer tipo de respeito ou sustentabilidade, onde se fotografam as "presas" em posturas afrodisíacas frustadas! Rupestres! Indignas! Gente que pensa apenas com os intestinos!

Não tenho violência suficiente nas minhas palavras para descrever o que sinto ao ver as imagens desta matança da marca de Portugal!

Este não é o meu país! Este não é o país que eu quero! Esta gente não é bem-vinda a um Portugal de futuro, que Deus lhes perdoe! Pois realmente são podres de espírito e não sabem o que fazem!

A nós cabe-nos dizer NÃO a quem quiser destruir a nossa marca colectiva!

Chega de monstros! A marca de Portugal tem de ser "bela" e nesta estética da economia não cabem corruptos, pedantes, lobistas, artilheiros ou quaisquer outro tipo de caçadores furtivos do nosso futuro colectivo!

A fome em Portugal está aí! Não podemos ficar calados perante este tipo de terrorismo ambiental, económico e no final social! Precisamos de impor a nossa identidade e hoje mais que nunca de cuidar, valorizar, lutar, pelo bem da nossa Marca, Portugal!

Presidente Ivity Brand Corp

Mais Notícias

Outras Notícias GMG