13 entidades do SNS distinguidas pelos "serviços excecionais" no combate à pandemia

Entidades do Serviço Nacional de Saúde fazem parte de um total de 103 instituições de 28 países que foram distinguidas pela Federação Internacional de Hospitais

Treze entidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS) fazem parte de um total de 103 instituições de 28 países que foram distinguidas pela Federação Internacional dos Hospitais pelos "serviços excecionais" que prestaram no combate à pandemia de covid-19.

A Federação Internacional de Hospitais (IHF, sigla em inglês) designou esta terça-feira, 15 de dezembro, como um dia mundial de consciencialização para os hospitais e sistemas de saúde que prestaram serviços excecionais no combate à pandemia de covid-19, refere em comunicado.

Segundo a Federação Internacional de Hospitais, as entidades distinguidas instituíram mudanças na prestação de cuidados de saúde, desde inovações tecnológicas no diagnóstico e tratamento, até a reestruturação dos sistemas de fluxo de trabalho e interações médico-doente.

Das 103 instituições distinguidas pela IFH, fazem parte 13 entidades portuguesas, nomeadamente o Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho, o Hospital de Cascais, o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, IPO de Coimbra Francisco Gentil, a Unidade Local de Saúde da Guarda e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Foram ainda distinguidos o Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, o Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, o Centro Hospitalar Universitário de São João, o Hospital Arcebispo João Crisóstomo, em Cantanhede, e os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SMPS) em parceria com a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O Ministério da Saúde adianta em comunicado que os projetos foram apresentados a concurso no "Programa de Reconhecimento da Resposta à covid-19", que reconheceu ações e respostas de prestadores de cuidados de saúde em todo o mundo e que foram "para além do exigível" no combate à covid-19.

Este reconhecimento foi atribuído a mais de 100 instituições de 28 países que "proativamente colocaram em prática respostas ou ações organizacionais de excelência e com caráter inovador no combate à pandemia covid-19, a nível regional ou nacional", adianta a o Ministério da Saúde.

A distinção resulta da análise de um júri internacional composto por 16 especialistas do setor de saúde, entre os quais o presidente da direção da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar-APDH, membro da IHF.

Os distinguidos irão receber um certificado "Beyond the Call of Duty for covid-19? e serão esta terça-feira conhecidos através de "uma ampla campanha internacional" nos meios de comunicação, adianta o Ministério da Saúde.

O diretor executivo da IHF, Ronald Lavater, afirma citado em comunicado desta instituição, que o "excelente trabalho" em resposta à pandemia está a transformar o futuro da saúde.

"Uma das nossas motivações na criação deste programa de reconhecimento é destacar a diversidade e agilidade da indústria hospitalar na resposta à pandemia covid-19", sublinha Ronald Lavater.

Para o diretor executivo da IHF, "a pandemia obrigou os hospitais a desenvolver, implementar e adotar novas formas de operar e muitas destas mudanças aceleraram a transformação positiva na prestação de cuidados"

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.612.297 mortos resultantes de mais de 72,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 5.649 pessoas dos 350.938 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG