Primeiras Leituras

Ainda não sendo conhecidos todos os resultados destas autárquicas, é já claro que o Partido Socialista consegue reforçar a sua já robustíssima maioria em número de presidências de câmaras municipais e juntas de freguesia, validando as políticas públicas em execução e convencendo mais eleitores da valia das suas propostas e candidatos. Conseguir fazê-lo num quadro em que as eleições se realizam a meio de um ciclo governativo liderado pelo PS tornam ainda mais histórica a dimensão da vitória.

Os tempos de confiança que vivemos no país não serão seguramente alheios à mobilização eleitoral, ao recuo da abstenção e a uma maior participação na vida democrática local, com mais mandatos atribuídos a independentes ou forças políticas que concorrem pela primeira vez, ou que pela primeira vez conseguem alcançar mandatos eletivos. Aqueles que teimam ainda em reconhecer esta nova realidade e o novo ciclo que o país atravessa não terão por isso entendido o que os portugueses esperam, tendo falhado nos programas e nos candidatos que apresentaram a sufrágio. Ainda de que de três centenas de eleições municipais e é mais de três mil eleições para as freguesias se trate primordialmente, as estratégias nacionais para as encarar contam e contaram também nos resultados que agora conhecemos.

A hora, no entanto, é de felicitações aos eleitos e de mobilização de todos para a gestão e progresso das nossas comunidades. A democracia local está viva, de boa saúde e recomenda-se!

Deputado do PS

Mais Notícias

Outras Notícias GMG