Europa sustentável, futuro sustentável

A Finlândia assume a presidência do Conselho Europeu a 1 de julho 2019. As prioridades estabelecidas incluem: fortalecer os valores comuns e o Estado de direito, uma União mais competitiva e socialmente harmoniosa, reforçar o papel da União Europeia como líder global das questões climáticas, como também assegurar a segurança global dos cidadãos.

A primeira presidência finlandesa da União Europeia em 1999 foi uma experiência fantástica para mim, uma das melhores experiências da minha carreira. Tinha regressado de Bruxelas um ano antes, onde trabalhei como especialista nacional na Comissão Europeia. A Comissão tratava na altura, como agora, a política comercial comum e aprendi, na prática, como uma entidade grande na política comercial internacional funciona. Quando regressei a Helsínquia fiquei com responsabilidade sobre o departamento da Ásia no Ministério dos Negócios Estrangeiros da Finlândia. A ação externa da União Europeia na altura era da responsabilidade das presidências rotativas, o Serviço Europeu para a Ação Externa foi fundado apenas dez anos mais tarde. Na preparação para a presidência, projetámos vários cenários e tentámos antecipar eventuais crises, sabendo que podia haver surpresas. E foi o que aconteceu. A primeira, completamente fora do nosso radar, foi nas ilhas Salomão. Dos países membros da União Europeia, a Grã-Bretanha era o único a ter uma embaixada no país, pelo que falámos com Londres sobre o que levou aos problemas políticos e da reação da União Europeia à situação, que depois acalmou rapidamente. No entanto, estávamos preparados para o facto de que iria haver problemas em Timor-Leste. Antes da presidência tínhamos visitado Díli e Jacarta para avaliar a situação, mas a situação evoluiu para algo muito pior do que esperávamos. Fora disso a nossa antecipação bateu bastante certo, o outono foi duro, acabando na cimeira com a China em Pequim imediatamente antes de Natal. Durante a nossa segunda presidência em 2006 fui embaixadora no Luxemburgo. Foi uma experiência igualmente esplêndida e repleta de trabalho, mas diferente. A embaixadora no país membro representa a presidência e organiza eventos, onde são debatidos assuntos da União Europeia, com o intuito de aumentar os conhecimentos sobre assuntos em comum. A política da União Europeia é formada em conjunto em Bruxelas e os colegas em Helsínquia dos vários setores da política estão num papel central.

Sustentabilidade também na organização dos eventos da presidência

O programa da presidência finlandesa na União Europeia foi publicado no passado dia 26 de junho (https://eu2019.fi/en/frontpage). O sucesso europeu baseia-se nas instituições democráticas, nos direitos humanos e no princípio do Estado de direito. Queremos reforçar a realização do princípio do Estado de direito, para que os direitos iguais dos cidadãos se realizem. Uma Europa socialmente harmoniosa necessita de mais educação, justiça regional e igualdade.

O lema da presidência finlandesa é "Europa sustentável, futuro sustentável". Pela primeira vez o fio condutor - da sustentabilidade - de uma presidência do Conselho estende-se até às questões práticas das reuniões. As tradições das presidências foram repensadas e os princípios estão em linha com o desenvolvimento sustentável. Queremos mostrar que uma presidência de sucesso e acolhedora é possível de se alcançar levando em conta os princípios ecológicos.

A medida central é o princípio da imaterialidade, o de não oferecer presentes, mas antes compensar as emissões causadas pelos voos realizados no âmbito das reuniões, mediante uma doação no total de cerca de 500 mil euros em projetos que reduzem emissões de gás com efeito estufa e em simultâneo promovem os objetivos do desenvolvimento sustentável. Todas as reuniões são organizadas num local e apenas em Helsínquia, no Finlandia Hall, para permitir o fácil acesso via transportes públicos, já o número de reuniões organizadas foi limitado.

Queremos também reforçar a importância da economia circular, e o objetivo é produzir o menos possível material relacionado com a presidência, recorrendo ao formato digital, evitar a utilização de papel e plástico. Nas refeições a preferência é pelos alimentos locais, biológicos, pela cozinha vegetariana, evitando-se as carnes e o desperdício. Esta é uma temática que a Embaixada da Finlândia em Lisboa vai querer trazer para o seu programa durante a presidência, encontrando-se a planear um evento com o restaurante de zero resíduos, o Nolla (zero em finlandês), sendo que um dos proprietários é o chef português Carlos Henriques.

Compromisso climático da embaixada

Temos falado na Embaixada da Finlândia em Lisboa sobre formas de ação que poupem o meio ambiente já há mais de dois anos. Começámos primeiro com a monitorização dos consumos de água e eletricidade e reciclagem dos resíduos, para aumentar a sensibilização entre o pessoal, tanto na embaixada como na residência. Falámos sobre o aspeto da poupança financeira alcançada com estas medidas, mas o mais importante era a poupança dos recursos naturais. Quando a falta de água em algumas zonas de Portugal foi falada na comunicação social, prestámos mais atenção ainda durante o período de maior seca. Nas reuniões internas da embaixada têm surgido ainda novas ideias, que temos implementado; fim da utilização do plástico descartável, evitar a utilização do elevador e o uso do ar condicionado, reduzir a utilização da impressora, utilização de papel reciclado, utilização das tecnologias de videoconferência para evitar as viagens para reuniões, para mencionar algumas das iniciativas. Os maiores investimentos mais recentes foram a instalação dos painéis solares na residência e a troca do carro oficial por um modelo híbrido.

A priorização dos transportes públicos também é importante na implementação destas medidas do funcionamento mais sustentável. Utilizamos o comboio nas deslocações em serviço em Portugal. Anualmente temos também o dia do passeio da embaixada, em que passámos um dia fora do escritório, e para essas deslocações escolhemos destinos que são acessíveis de transportes públicos.

Neste ano realizou-se pela primeira vez a ação conjunta das embaixadas nórdicas acreditadas em Portugal para limpar a praia da Cruz Quebrada. Foi realizada para aumentar a consciência de todos para o problema da poluição marítima e contou com apoio das autoridades locais e da associação Bandeira Azul. Como países marítimos é importante para nós chamar a atenção para a causa e consciencializar todos de que temos de participar e contribuir para o esforço.

Embaixadora da Finlândia em Portugal

Mais Notícias

Outras Notícias GMG