Como o Partido Comunista da China Chegou ao Poder e os Valores por detrás da sua Governação Duradoura

Desde que assumi o cargo de Embaixador da China em Portugal há três meses, tenho realizado audiências com vários governantes, representantes de partidos políticos e deputados, entre outros amigos portugueses de diferentes setores da sociedade. Nessas atividades, todas as personalidades portuguesas com quem falei acharam importante desenvolver as relações com a China e manifestaram o desejo em aprofundar ainda mais a cooperação que é de benefício mútuo, nas mais diversas áreas. Isto é algo que me dá satisfação. Muitos amigos querem conhecer melhor a China, especialmente querem saber mais sobre o Partido Comunista da China. Isso é realmente muito importante, pois, para entender melhor o desenvolvimento da China, tem que conhecer melhor o protagonista na revolução, na construção e na reforma da China -- o Partido Comunista da China (o PCC).

No início do século XX, a China caiu numa situação sombria, sofreu perturbações internas e invasões externas, colocando em causa a existência do Estado e da Nação. Em 1921, o PCC nasceu nesta circunstância e só contava com mais de 50 militantes. Desde então, o PCC uniu e dirigiu o povo chinês para derrubar o imperialismo, feudalismo e capitalismo burocrático, e alcançou a independência e liberdade nacional, depois de uma luta árdua de 28 anos. Após a fundação da República Popular da China, o PCC liderou o povo a encontrar o caminho do socialismo, e consolidou a base política e institucional para o desenvolvimento da China na época moderna. Desde a implementação da Reforma e Abertura, o PCC conduziu o povo a livrar-se das antigas restrições ideológicas e institucionais, abriu o caminho do Socialismo com Características Chinesas. Como resultado, a produtividade do país aumentou significativamente e o nível de vida do povo é constantemente elevado. Antes, a China era um país agrícola pobre e fraca,e agora, a China tornou-se na segunda economia mundial, o maior país do mundo em termos de manufatura e comércio de mercadorias. O PIB per capita aumentou de menos de US$30 para mais de US$10 mil, e a esperança média de vida dos chineses aumentou de 35 anos para 77,3 anos.

Ao lançar um olhar retrospetivo do percurso dos últimos cem anos, houve também momentos em que o PCC se desviou do seu caminho,enfrentava vozes desesperadoras, e houve falhas na sua governação. Aprendendo lições do passado, O PCC sempre consegue ultrapassar as provações e tribulações e nunca parou de crescer. Hoje em dia, o PCC já se tornou no maior partido político do mundo e conta com mais de 90 milhões de militantes e implementa a governação estável e duradoura num país com uma população de 1,4 mil milhões de pessoas. De acordo com várias sondagens independentes feitas por agências que gozam renomes internacionais, mais de 90% dos chineses têm mostrado satisfação e apoio ao PCC e ao seu governo.

Na minha opinião, o êxito do PCC deve-se aos seguintes cinco valores da governação:

Primeiro, buscar a verdade nos factos. Quando a China era pobre e fraca, lutávamos arduamente para encontrar uma solução que pudesse salvar o país, tentávamos simplesmente copiar os modelos políticos como a monarquia constitucional, parlamentarismo, sistema multipartidário e sistema presidencial. No entanto, essas tentativas acabaram por falhar em responder a questão sobre o caminho e o destino da China. O PCC encontrou um caminho de "utilizar as zonas rurais para cercar as cidades" e "conquistar o poder pela força das armas", unindo todo o povo chinês para fundar a Nova China, abrindo caminho para completar a revolução socialista e consolidando um sistema socialista básico. De seguida, a China adotou a reforma e abertura, e vem abrindo um caminho socialista com caraterísticas chinesas. Sob a liderança do Comité Central do PCC que tem o Camarada Xi Jinping como seu núcleo,as causas do Partido e do país obtiveram êxitos históricos, e o socialismo com caraterísticas chinesas entrou numa nova era. O PCC adaptou teorias fundamentais do marxismo às realidades e necessidades da época da China, por forma a encontrar uma teoria, um sistema e um caminho de desenvolvimento que correspondesse às realidades da China da altura. Com isto, iniciou-se a Revitalização da Nação chinesa.

Segundo, ter o desenvolvimento centrado no povo. Vem do povo, enraíza-se no povo e serve ao povo, o PCC representa sempre os interesses fundamentais do povo chinês. Seja durante épocas de revolução, construção e reformas do passado, seja na prevenção e controlo da pandemia e o combate à pobreza hoje em dia, o PCC guarda sempre a sua aspiração inicial de preservação e aprofundamento dos interesses fundamentais do seu povo. Com isto, O PCC consegue livrar-se das perturbações da força dos interesses instalados e consegue definir sempre as políticas com base na consideração do desenvolvimento de longo prazo do Partido e do País, tendo encontrado assim o máximo divisor comum dos desejos e reivindicações de toda a sociedade. O Povo é a maior fonte de confiança da governação do PCC.

Terceiro, emancipar constantemente a mente. Tanto na fundação da República Popular da China, no início da Reforma e Abertura, como na entrada na nova era do socialismo com características chinesas, o PCC, quando estar perante uma situação complexa e em constante mudança, tem sempre a coragem de quebrar o protocolo e abandonar os padrões que limitam seu pensamento, e empenhar-se numa reforma da estrutura institucional. Desde a adoção da Reforma e Abertura, damos passos corajosos em combinar o socialismo com a economia de mercado, o que era sem precedentes na história da China e foi uma tentativa muito rara na história mundial. Depois do 18º Congresso Nacional do PCC, emancipamos ainda mais a mente, propondo que deve fazer o mercado desempenhar seu papel decisivo na distribuição de recursos e fazer melhor uso do papel do governo. A combinação orgânica das vantagens do sistema socialista com características chinesas e da economia de mercado oferece uma importante garantia e um apoio ao desenvolvimento económico e social da China.

Quarto, persistir na abertura e inclusividade. O Secretário-Geral do PCC Xi Jinping afirmou que "Somente quando se abre a janela o ar fresco pode entrar livremente". O PCC tem a tradição de manter-se aberto e inclusivo para aprender e assimilar as boas práticas da civilização humana. Desde 1978, a China começou a implementar a Reforma e Abertura, e integrou-se nas correntes da globalização económica. A abertura chinesa é cada vez maior:criamos as Zonas Económicas Especiais, abrimos cidades portuárias e litorâneas para receber empresas internacionais, a China integrou-se à Organização Mundial do Comércio e até agora já criamos 21 zonas piloto de livre comércio. O PCC mantém contactos frequentes com mais de 400 partidos e organizações políticas em mais de 160 países e regiões do mundo, estando aberto a assimilar uma sabedoria benéfica à governação do Estado e ao bem estar do povo, venha essa sabedoria do Oriente ou do Ocidente.

Quinto, empenhar-se com uma visão mundial. O PCC tem como sua missão lutar pela paz e desenvolvimento da humanidade. Já na década 1930, o PCC empenhou-se na Guerra Mundial Antifascista e fez contributos históricos para a sua vitória. Depois da fundação da nova China , o PCC persiste firmemente na política diplomática pacífica de independência e autonomia, defende inabalavelmente a paz mundial e promove o desenvolvimento comum. No 19º Congresso Nacional do PCC, foi aprovada a resolução de incluir nos Estatutos do PCC a construção da Comunidade de Futuro Compartilhado para a Humanidade, oferecendo a solução chinesa para fazer face às ameaças globais colocadas na frente da comunidade internacional.

A história e as práticas demonstraram que a posição de liderança do PCC é resultado da evolução histórica e reflete a vontade do povo chinês, e jamais foi auto-proclamada. Não importamos modelos estrangeiros, nem exportamos o modelo chinês, e nunca forçamos outros a copiar as práticas chinesas. A China conseguiu êxitos do desenvolvimento globalmente notáveis, mas ao mesmo tempo, estamos bem cientes de que a China continua a ser um país em desenvolvimento que é confrontado com diversos desafios e dificuldades. Como partido governante e o núcleo de liderança da causa do socialismo com características chinesas, o PCC sabe e saberá tirar as experiências e lições, e continuará a promover a reforma e inovação, e dirigirá o povo chinês de todos os grupos étnicos para iniciar uma nova jornada da construção plena de um país socialista moderno.

Desejamos criar mais oportunidade ao mundo com o desenvolvimento da China, e estamos dispostos a intensificar o diálogo e cooperação com a parte portuguesa entre outras partes, com base no princípio de independência, automonia, buscar sempre pontos em comum enquanto reservar as divergências, respeito mútuo e aprendizagem recíproca. Seremos, como somos, defensores da paz mundial, contribuintes ao desenvolvimento global e promotores do intercâmbio entre civilizações diferentes, com o objectivo de construir juntos a Comunidade de Futuro Compartilhado para a Humanidade e criar em conjunto um mundo melhor.

* Embaixador da República Popular da China em Portugal

Mais Notícias

Outras Notícias GMG