Eles não põem o humor na gaveta

Dois comediantes de cores políticas diferentes discutem o humor na política. O Humorista, João Cunha, assume a opção pela direita, enquanto Carlos M. Cunha, o «grandalhão» dos Commedia a la Carte, improvisa pela esquerda.

Odeiam-se, nem se podem ver. Um é de esquerda, esquerda Pata Negra, o outro de direita, mas sempre com um piscar de olho a quem está no poder. Dois humoristas, dois pontos de vista. O Humorista e Carlos M. Cunha, dos Commedia a la Carte, juntos não se entendem, estão em plena e contínua oposição. O humorista é o reacionário de serviço, responde pela direita, enquanto o gigante da comédia de improviso se bate pela esquerda.

«Não tendo a direita no poder, vai ser difícil fazer humor», diz O Humorista com a voz refinada e ar de superioridade. Carlos M. Cunha quase tem vontade de concordar, enquanto faz uma careta e avisa: «Sem Passos no poder as greves vão acabar e as pessoas vão perceber que a alternância é boa... Já tivemos quarenta anos de governo centro-direita, chega! E agora os feriados vão voltar! A malta é de esquerda mas não é estúpida...»

O despique continua na Notícias Magazine.

Mais Notícias