WhatsApp paga um milhão para investigar difusão de notícias falsas

A plataforma de troca de mensagens vai pagar a 20 grupos de investigadores para resolver problemas relativos à difusão de informação que não é verdadeira.

A administração do WhatsApp anunciou que vai pagar um milhão de dólares (889,5 milhões de euros) a um grupo de especialistas para investigar a difusão de notícias falsas (fake news), fotos descontextualizadas e rumores através daquela plataforma de troca de mensagens, que tem atingido sobretudo os utilizadores de países como Brasil e Índia, dois dos maiores mercados daquela aplicação.

Nesse sentido, foram constituídos 20 grupos de investigadores de onze países e cada um irá receber 50 mil dólares (44,4 mil euros). "Reconhecemos que este problema representa um desafio a longo prazo que tem de ser resolvido em parceria com outros", afirmou Mrinalini Rao, líder do departamento de pesquisa do WhatsApp, em comunicado. "Estes estudos vão ajudar-nos a desenvolver as alterações recentes que fizemos no WhatsApp e ajudar a promover campanhas para manter os utilizadores a salvo", acrescentou.

O grupo de investigadores foi escolhido após mais de 600 propostas e irá analisar difusão de informação falsa em quatro áreas chave, incluindo literacia digital e desinformação eleitoral.

De acordo com o comunicado, o WhatsApp garante que não irá fornecer aos investigadores quaisquer informações sobre os utilizadores da aplicação de troca de mensagens.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG