Corbyn pede demissão de May que quer garantir "estabilidade"

Corbyn desafia Theresa May a dar lugar a governo trabalhista. May promete cumprir o dever de dar "período de estabilidade" ao país

O Partido Conservador, liderado pela primeira-ministra, Theresa May, perdeu a maioria absoluta nas eleições legislativas antecipadas de quinta-feira no Reino Unido, segundo resultados oficiais divulgados hoje.

Theresa May afirmou hoje que quer manter-se em funções para garantir "um período de estabilidade" caso se confirme que os conservadores foram o partido que elegeu mais deputados nas eleições legislativas de quinta-feira.

"Se, como as projeções mostram e se forem corretas, o partido Conservador ganhou mais lugares e mais votos, então caberá a nós garantir que temos esse período de estabilidade e é exatamente isso que vamos fazer", vincou.

Lembrando que faltam saber os números finais, garantiu que, "quaisquer que sejam os resultados, o partido Conservador assegurará que desempenhará o seu dever em assegurar essa estabilidade"

O líder do partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, convidou a primeira-ministra, Theresa May, a dar lugar a um governo do 'Labour'.

"Se há uma mensagem do resultado desta noite é o seguinte: a primeira-ministra convocou a eleição porque ela queria um mandato. Mas o mandato que tem é perda de assentos, é perda de votos, é perda de apoio e perda de confiança. Penso que é suficiente para se ir embora e dar lugar a um governo que seja representativo das pessoas deste país", afirmou em Islington, após o anúncio da sua reeleição para deputado.

Siga aqui a contagem eleitoral em tempo real:

Com estes resultados, o Reino Unido tem o que se conhece por "hung parliament", literalmente parlamento suspenso, em que nenhum partido consegue lugares suficientes para formar uma maioria absoluta e não poderá governar sozinho, precisando do apoio de outras formações políticas.

Não havendo uma maioria, o calendário político britânico pode prolongar-se por várias semanas, o que pode prejudicar o calendário do 'Brexit', uma vez que as negociações com a União Europeia (UE) deviam começar dentro de duas semanas.

O Partido Conservador partiu para as eleições com 330 deputados, contra os 229 dos Trabalhistas.

Quando a líder conservadora convocou as eleições legislativas antecipadas para esta quinta-feira, em meados de abril, a sua formação tinha uma vantagem de quase 20 pontos sobre os trabalhistas, mas o partido liderado por de Corbyn conseguiu reduzir significativamente a desvantagem nas intenções de voto face ao partido do Governo, sobretudo na recta final da campanha.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG