Visita da irmã de Kim-Jong-un custou 180 mil euros à Coreia do Sul

Metade da verba foi gasta em alojamento. Histórica visita valeu convite para uma cimeira entre as duas Coreias a ter lugar em Pyongyang

A histórica visita à Coreia do Sul de uma delegação norte-coreana liderada por Kim Yo-jong, a irmã do líder Kim Jong-un, custou a Seul mais de 180 mil euros, revelou esta quinta-feira fonte governamental.

O governo da Coreia do Sul assumiu o custo total da viagem de três dias da delegação que assistiu à cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang. No total foram gastos mais de 40 milhões de won (cerca de 180 mil euros), metade dos quais em alojamento, de acordo com o porta-voz do Ministério da Unificação da Coreia do Sul.

A irmã mais nova do líder norte-coreano assistiu à cerimónia de abertura dos Jogos, que se realizam em PyeongChang. À chegada, Kim Yo-jung foi recebida, no aeroporto internacional de Incheon, por um grupo de funcionários sul-coreanos, incluindo o ministro da Unificação, Cho Myoung-gyon.

Kim Yo-jung foi o primeiro membro da dinastia Kim a visitar a Coreia do Sul, embora o avô, Kim Il Sung, tenha viajado para aquela que é agora a zona desmilitarizada, durante a Guerra da Coreia (1950-53).

O principal resultado da visita foi o convite ao Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, para participar numa cimeira em Pyongyang.

De acordo com o convite, transmitido pela irmã do líder norte-coreano, Kim Jong-un está pronto para se reunir com Moon "tão brevemente quanto possível", segundo um porta-voz da Casa Azul, a presidência sul-coreana.

A acontecer, o encontro será o terceiro do género, depois de o pai do atual líder norte-coreano, Kim Jong-un, se ter reunido com os sul-coreanos Kim DAe-jung e Roh Moo-Hyun, em 2000 e 2007.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG