Vinte e três militares mortos em ataque suicida a posto de controlo no Egito

Este é o ataque mais mortífero deste ano contra o exército egípcio

Vinte e três militares egípcios morreram e 33 ficaram feridos hoje num atentado com um veículo armadilhado a um posto de controlo militar na Península do Sinai, disseram responsáveis num novo balanço sobre o ataque.

Antes as mesmas fontes, que não quiseram ser identificadas, tinham dado conta de pelo menos 10 mortos e 20 feridos.

Entre os mortos no ataque -- o mais mortífero este ano contra o exército -- encontram-se cinco oficiais, incluindo um coronel das forças especiais, Ahmed el-Mansi, segundo responsáveis da segurança.

O ataque terá começado quando um carro armadilhado chocou com a barreira do posto de controlo na aldeia de El-Barth a sul da cidade fronteiriça de Rafah. Seguiu-se um tiroteio por parte de dezenas de atacantes encapuzados.

Os atacantes dispararam contra os soldados durante meia hora, segundo as mesmas fontes, que adiantaram que os militantes levaram armas e munições, antes de abandonarem o local.

O atentado ainda não foi reivindicado, segundo a agência noticiosa norte-americana Associated Press, mas o Egito tem enfrentado nos últimos anos ataques no norte do Sinai, sobretudo por parte de militantes de um grupo ligado ao movimento extremista Estado Islâmico.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG