Veja como cresceu o império de Isabel dos Santos

Mapa interativo do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação mostra como foi criado o império da mulher mais rica de África.

Com base em mais de 715 mil ficheiros, obtidos pela Plataforma de Proteção de Denunciantes em África, o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) revela como Isabel dos Santos fez fortuna e se tornou na mulher mais rica de África.

Na investigação Luanda Leaks que está a ser feita há oito meses, são reveladas ligações da filha mais velha do antigo presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, a empresas offshore. Um dos casos está relacionado com os cerca de 100 milhões de dólares (90,2 milhões de euros) que Isabel dos Santos terá alegadamente desviado da petrolífera estatal angolana Sonangol para uma empresa offshore no Dubai.

No total, o ICIJ analisou 356 gigabytes de dados relativos aos negócios de Isabel dos Santos, no período entre 1980 e 2018. Foram identificadas mais de 400 empresas a que Isabel dos Santos teve uma ligação nas últimas três décadas, incluindo 155 portuguesas e 99 angolanas.

Os documentos indicam que, alegadamente, em menos de 24 horas, a conta da Sonangol no Eurobic em Portugal foi esvaziada e ficou com saldo negativo no dia seguinte à demissão da empresária da petrolífera angolana. O Eurobic tem Isabel dos Santos como maior acionista.

São quatro os portugueses que são referidos como estando alegadamente envolvidos nos esquemas financeiros de Isabel dos Santos: Paula Oliveira, administradora não-executiva da NOS e diretora de uma empresa offshore no Dubai, Mário Leite da Silva, presidente executivo da Fidequity, o advogado Jorge Brito Pereira e Sarju Raikundalia, administrador financeiro da Sonangol.

O Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação expõe o percurso feito por Isabel dos Santos nos últimos anos e como a angolana fez fortuna.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG