Marta Temido confirma início da vacinação em Portugal a 27 de dezembro

O ministro da Saúde alemão anunciou a data do início da campanha de vacinação nos 27 países. Von der Leyen já veio confirmar através do Twitter e Marta Temido precisou que a campanha portuguesa se inicia dois dias depois do Natal, "pelos profissionais de saúde".

A ministra da Saúde confirmou, após a reunião com a task force que prepara a campanha de vacinação contra a covid-19, a data em que começa. "A entrega das vacinas ainda se materializará no mês de dezembro e países estimam que calendário de vacinação possa ser alinhado entre todos e ser iniciado a 27 de dezembro".

Em conferência de imprensa após uma reunião com responsáveis do planeamento da vacinação, Marta Temido declarou que a Agência Europeia do Medicamento poderá emitir a 23 de dezembro a autorização condicional de introdução no mercado e que as primeiras doses de vacina poderão chegar a Portugal no dia 26.

Essas são as datas previstas para o processo de chegada do primeiro lote de vacinas, com 9.750 doses, ao que se seguirão mais cerca de 303 mil doses a partir de dia 04 de janeiro, adiantou ainda.

"A informação mais recente é dessa previsão de entrega ainda no mês de dezembro e, como já está também a ser comunicado pela Comissão Europeia, estima-se que o calendário de vacinação possa ser alinhado entre todos [os países da União Europeia] e possamos começar a vacinar entre 27 e 29 de dezembro", afirmou Marta Temido.

A ministra acrescentou que se está a "ultimar o processo de seleção do grupo que vai ser vacinado com este primeiro lote, nos primeiros dias", mas que "será focado na componente dos profissionais de saúde, na medida em que são aqueles que, na primeira linha, poderão ajudar melhor a proteger os restantes".

Marta Temido frisou que há mais vacinas na calha para parecer e autorização de introdução no mercado condicional por parte da Agência Europeia do Medicamento, como é o caso da empresa Moderna.

A informação de Marta Temido confirma o plano dos estados membros da União Europeia em iniciar a vacinação contra a covid-19 a partir do dia 27 de dezembro. Quem o garantiu primeiro foi Jens Spahn, ministro da Saúde alemão, antes de uma reunião com a chanceler Angela Merkel e os executivos da farmacêutica BioNTech, que co-produzem a vacina com a Pfizer, que aguarda aprovação da Agência Europeia do Medicamento (EMA).

"Na Alemanha vamos começar, se a aprovação vier dentro do previsto, no dia 27 de dezembro. Os outros países da UE querem começar a partir de 27 de dezembro", disse Spahn.

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia já tinha dito esta quarta-feira que estava previsto todos os países da UE começarem a vacinação no mesmo dia, tendo hoje garantido, através de uma publicação no Twitter, que "a vacinação vai começar em toda a UE a 27, 28 e 29 de dezembro". "Nós protegemos juntos os nossos cidadãos", acrescentou.

A EMA antecipou de dia 29 para a próxima segunda-feira a reunião do seu comité científico para aprovar a vacina Pfizer-BioNTech. Se for aprovada, a Comissão Europeia já disse que dará autorização para a sua comercialização no prazo de 48 horas, ou seja, na próxima quarta-feira.

Em Portugal, Francisco Ramos, coordenador do plano de vacinação contra a covid-19, admitiu esta quarta-feira, no Parlamento, que a Pfizer vai entregar menos 20% das vacinas que estavam previstas para o primeiro semestre de 2021. Uma situação irá prolongar a primeira fase da vacinação "até março ou abril", quando inicialmente estava prevista para estar concluída em fevereiro.

Certo é que o processo de distribuição de vacinas não vai contar com a contribuição das Forças Armadas. Foi o próprio Francisco Ramos que anunciou na audição na Assembleia da República. "É a empresa que vai entregar as vacinas. A distribuição no continente não será feita pelas Forças Armadas, a responsabilidade do processo de distribuição será dos elementos a colaborar connosco. Não serão veículos das Forças Armadas a fazer essa distribuição, será feita através de organizações e instrumentos certificados e licenciados para isso", assumiu.

As normas de administração da vacina serão conhecidas nas próximas horas, sendo a task-force dirigida por Francisco Ramos apresenta esta quinta-feira o plano que foi elaborado ao primeiro-ministro António Costa e só depois é que ele será tornado público.

atualizado às 14.30

Mais Notícias

Outras Notícias GMG