Uma mulher vai poder dirigir 'Marines' em combate pela 1.ª vez história

Uma mulher vai poder dirigir 'Marines' dos EUA em combate, pela primeira vez na história deste corpo das Forças Armadas norte-americanas, anunciou o Pentágono.

"Estou orgulhoso desta oficial e dos da sua promoção", indicou o comandante do corpo de 'Marines', general Robert Neller, em comunicado.

"Os 'Marines' têm o direito de esperar oficiais competentes e capazes e merecem-no. Os oficiais desta promoção preenchem todas as condições para se prepararem para o seu próximo desafio, o de dirigir 'marines', incluindo em combate", acrescentou.

Esta jovem tenente, que mantém o anonimato, é a primeira a ter conseguido superar com sucesso as 13 semanas de treino extremamente físico por que passam os 'Marines' para poderem comandar um pelotão com cerca de 40 homens em combate. O treino só foi aberto às mulheres em abril de 2016.

O Pentágono publicou um vídeo do treino de alguns dos 88 'Marines' que acederam a este grau de oficial, dos 131 que iniciaram o programa. Aí se vê uma jovem morena, com os cabelos apanhados com um carrapito e com óculos escuros.

O Governo do anterior Presidente, Barack Obama, suprimiu em 2016 as últimas discriminações em função do sexo nas Forças Armadas.

O Exército abriu às mulheres todos os postos de combate, incluindo forças especiais, infantaria e blindados.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG