UE impõe sanções a 40 pessoas por repressão e intimidação na Bielorrússia

Os 27 membros do Conselho Europeu decidiram congelar bens e proibir de viajar para os países da UE a algumas figuras do poder bielorrusso, entre os quais o ministro dos Negócios Estrangeiros.

O Conselho da União Europeia (UE) impôs esta sexta-feira sanções a 40 pessoas na Bielorrússia, por ações de repressão e intimidação sobre manifestantes, opositores e jornalistas, dando assim cumprimento ao que ficara decidido na véspera pelos líderes dos 27, no Conselho Europeu.

A lista inclui o ministro dos Negócios Estrangeiros, Yuri Khadzimuratovich Karaev, entre outros responsáveis políticos e pelos serviços de segurança na Bielorrússia.

Segundo um comunicado do Conselho da UE, as sanções, que contemplam o congelamento de bens e proibição de viajar para a UE, abrangem 40 pessoas identificadas como responsáveis por repressão e intimidação de manifestantes pacíficos, opositores políticos e jornalistas na sequência das eleições presidenciais na Bielorrússia, bem como de conduta indevida no processo eleitoral.

As proibições de viajar impedem que os visados entrem ou transitem no espaço da UE e o congelamento de bens abarca os fundos ou outros recursos económicos, interditando ainda os cidadãos e empresas comunitários de lhes disponibilizarem fundos.

A decisão de impor sanções à Bielorrússia foi adotada pelo Conselho Europeu na quinta-feira, tendo os líderes dos 27 condenado a violência das autoridades contra manifestantes pacíficos, bem como as intimidações e detenções arbitrárias na sequência das eleições presidenciais de 9 de agosto, cujo resultado a UE não reconhece.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG