Trump vai vender aviões à Nigéria para combater Boko Haram

Trump já deixou claro que vai aprovar venda dos aviões, mas o Conselho Nacional de Segurança ainda está a analisar a questão

A administração Trump vai vender aviões de alta tecnologia à Nigéria para a sua campanha contra os extremistas islâmicos do Boko Haram, apesar das preocupações sobre abusos das forças de segurança nigerianas, segundo responsáveis norte-americanos.

O Congresso deverá receber a notificação formal dentro de semanas e o acordo prevê que a Nigéria compre até 12 aviões Super Tucano A-29 da Embraer, com sofisticado equipamento de mira, por cerca de 600 milhões de dólares (567 milhões de euros), disse um dos responsáveis, que não quiseram ser identificados.

Embora o Presidente Donald Trump tenha deixado clara a sua intenção de aprovar a venda dos aviões, o Conselho Nacional de Segurança ainda está a analisar a questão.

Também se espera a aprovação de vendas de material militar para vários outros países.

A força aérea da Nigéria, que está a tentar comprar os aviões desde 2015, tem sido acusada de bombardear alvos civis pelo menos três vezes nos últimos anos.

O caso pior aconteceu a 17 de janeiro, quando um avião bombardeou um campo em Rann, perto da fronteira com os Camarões, onde se encontravam civis que tinham fugido da violência do Boko Haram. Entre 100 e 236 civis e trabalhadores humanitários foram mortos, segundo balanços de líderes oficiais e comunitários.

Num relatório de 2016, o Departamento de Estado indicou que o governo nigeriano tomou "poucas medidas para investigar ou processar funcionários que cometeram violações, seja das forças de segurança ou do governo, e a impunidade continuou generalizada a todos os níveis da administração".

A Amnistia Internacional acusou as forças armadas da Nigéria de crimes de guerra e contra a humanidade nas execuções extrajudiciais do que estimou em cerca de 8.000 suspeitos do Boko Haram. Os militares nigerianos negam as alegações.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG