Trump quer um "cabelo perfeito" e vai mudar a lei da pressão de água nos chuveiros

Lei estabelece que a saída total de água deve ser, no máximo, de 9,5 litros por minuto, independentemente de quantas cabeças de chuveiro há no sistema. Presidente queixou-se e lei vai mudar.

O governo norte-americano está a tentar flexibilizar as regras para acessórios de chuveiros que permitem uma maior conservação da água depois de o presidente Donald Trump se ter queixado da falta de pressão na sua busca pelo "cabelo perfeito".

O Departamento de Energia revelou na quarta-feira que está a tentar alterar a definição de chuveiro, que poderiam contornar as medidas de conservação aprovadas durante a presidência de George H. W. Bush, em 1992.

De acordo com as regras atuais, o máximo de água por minuto nos chuveiros deve ser inferior a 9,5 litros. Depois de terem surgido os sistemas com várias cabeças de chuveiro, a administração de Barack Obama estabeleceu que as restrições têm de se aplicar ao total de água que sai de todas.

Mas, se a alteração avançar, esse limite será aplicado a cada cabeça de chuveiro, não a um único sistema (que pode incluir várias cabeças).

A alteração surge depois de Trump se queixar da falta de pressão de água nos chuveiros.

"Chuveiros... tomas um duche e a água não sai", disse em julho na Casa Branca, anunciando uma revisão da regulamentação. "Queres lavar as mãos e a água não sai. Então o que é que fazes? Ficas lá mais tempo ou tomas um duche mais longo? Porque o meu cabelo, não sei em relação a vocês, mas tem de estar perfeito. Perfeito", acrescentou.

O tema há muito que irrita o presidente. Em dezembro, disse aos jornalistas que a Agência de Proteção Ambiental iria "avaliar seriamente os lavatórios, chuveiros e outros elementos das casas de banho", alegando que a falta de pressão está a levar as pessoas a usar ainda mais água. "As pessoas estão a descarregar o autoclismo dez vezes, 15 vezes, em vez de apenas uma, acabam por usar mais água", alegou.

Mas segundo os grupos de consumidores e de conservação, a decisão é absurda, desnecessária e um desperdício, especialmente numa altura de seca - 33% do território norte-americano está em seca moderada ou extrema.

De acordo com dados do próprio Departamento de Energia, citados pela AP, das 12 499 cabeças de chuveiro que estão registadas, 74% usam apenas 7,5 litros, 20% menos do que o limite estabelecido pela lei. E, segundo as associações de consumidores, não tem havido queixas para que se proceda a mudanças.

Mais Notícias