Trump obriga grupo chinês a vender operações da rede TikTok nos Estados Unidos

O chefe de estado norte-americano tem acusado a rede social de usar os dados dos utilizadores para beneficiar Pequim.

O Presidente norte-americano deu, na sexta-feira, 90 dias ao grupo chinês ByteDance para vender as suas operações do TikTok nos Estados Unidos, segundo um decreto presidencial assinado por Donald Trump.

Trump tem acusado nos últimos meses, sem apresentar qualquer prova, a popular plataforma de partilha de vídeos de usar os dados dos utilizadores norte-americanos para beneficiar Pequim.

"Há provas credíveis que me levam a crer que ByteDance (...) poderá tomar medidas que ameaçam prejudicar a segurança dos Estados Unidos", de acordo com o decreto presidencial assinado por Trump.

Num contexto de fortes tensões comerciais e políticas com a China, o Presidente norte-americano tinha já anunciado, há uma semana, medidas radicais contra o TikTok e o WeChat, rede social da chinesa Tencent.

Em 6 de agosto, Trump proibiu as duas plataformas de efetuarem qualquer transação com parceiros norte-americanos durante 45 dias, por as considerar uma ameaça para a segurança, a política externa e a economia dos Estados Unidos.

O documento de sexta-feira precisa que o comprador deverá ser norte-americano e "provar a vontade e capacidade de se conformar com este decreto".

O gigante da informática norte-americano Microsoft está em negociação com o ByteDance para comprar a TikTok, pelo menos nos Estados Unidos.

O ByteDance deverá também confirmar que destruiu todos os dados "de utilizadores norte-americanos, obtidos ou derivados da TikTok e da Musical.ly", uma aplicação norte-americana adquirida pela sociedade chinesa e fundida com a TikTok.

Mais Notícias