Trump: "O vosso presidente favorito não fez nada de errado"

Presidente norte-americano reagiu à alegada gravação, feita pelo antigo advogado e na posse das autoridades, em que discute a compra dos direitos da história da ex-modelo da Playboy que diz ter tido um caso com ele.

O presidente norte-americano, Donald Trump, considera que talvez seja ilegal um advogado gravar uma conversa com um cliente, um dia depois de ser revelado que o seu antigo defensor, Michael Cohen, os tinha gravado a ambos a discutir a compra dos direitos da história da ex-modelo da Playboy que diz ter tido um caso com o milionário.

"É inconcebível que o governo invada o escritório de um advogado (de manhã cedo) - quase inédito. Ainda mais inconcebível que um advogado grave um cliente - totalmente inédito e talvez seja ilegal", escreveu Trump no Twitter.

"A boa notícia é que o vosso presidente favorito não fez nada de errado!", conclui a mensagem na rede social.

A conversa ocorreu antes das eleições presidenciais e refere-se a uma ex-modelo da Playboy, que segundo o The New York Times (que revelou a informação), é Karen McDougal. A modelo terá tido uma relação de um ano com Trump em 2006, quando este já estava casado com Melania.

McDougal considerou ser o momento para vender a sua história e optou por conceder uma entrevista por 150.000 dólares (129.000 euros) ao tabloide National Enquirer, cujo diretor executivo, David J. Pecker, é amigo de Trump e decidiu não publicar qualquer informação.

A gravação terá sido apreendida durante uma rusga do FBI em abril aos escritórios de Cohen, no qual foram também encontrados documentos que revelaram a transferência de 130 mil dólares (112 mil euros) do advogado de Trump para a atriz pornográfica Stormy Daniels.

Mais Notícias