Trump em Davos: "América primeiro não significa América sozinha"

Presidente norte-americano discursou esta sexta-feira no Fórum Económico Mundial de Davos e foi vaiado quando falou sobre a imprensa

O presidente dos EUA lançou esta sexta-feira um severo ataque às práticas "predatórias" de comércio, acrescentando que os EUA não voltarão a fazer "vista grossa" e que não tolerarão injustiças.

Num aguardado discurso no Fórum Económico Mundial de Davos, na Suíça, Donald Trump alegou que as práticas predatórias estão a distorcer os mercados, dizendo que, no que ao comércio diz respeito, colocará sempre a América primeiro - recordando o slogan de campanha com que foi eleito - mas que "América primeiro não significa América sozinha". Aos líderes mundiais, Trump disse que a América está "aberta para negócios", recordando os feitos alcançados ao nível da economia no primeiro ano de mandato.

O presidente disse também que os EUA estão de acordo com o sistema de comércio global, com mercados abertos e livres, desde que sejam "justos" e possam gerar ganhos "recíprocos".

"Apoiamos o livre comércio, mas tem que ser justo e recíproco", caso contrário enfraquece todos os países que respeitam as regras."Comércio justo e recíproco: só assim poderemos ter um sistema a funcionar", completou.

Em causa, disse Trump sem especificar a que países se referia, estão "práticas predatórias" de países que utilizam "planeamento económico liderado a nível estatal" para "minar" a riqueza dos outros. E assinalou que os EUA estão mais atrativos do que nunca para o investimento estrangeiro.

"Estou aqui para passar uma simples mensagem: nunca houve tempo melhor para contratar, para construir, para investir e para crescer nos Estados Unidos. A América está aberta para negócios e voltámos a ser competitivos", sublinhou Trump.

Enquanto o presidente discursava, foram conhecidos os números mais recentes relativos à economia americana, assinala a BBC. No último quadrimestre do ano passado, registou-se um crescimento de 2,6%, menor do que a meta dos 3% traçada por Trump.

Quando começou a responder a questões dos jornalistas na audiência, Trump voltou a repetir acusações em relação à divulgação de notícias falsas. "Enquanto empresário, fui sempre muito bem tratado pela imprensa. Só quando vim para a política é que percebi o quão desagradável, má, perversa e falsa a imprensa pode ser", disse.

Enquanto Trump falava, ouviram-se assobios e apupos de quem estava na assistência, uma estreia em Davos este ano, assinalaram os jornalistas no local.

Quanto ao compromisso internacional dos Estados Unidos, Trump recordou que, no âmbito da sua política exterior, abordou o tema da desnuclearização da Coreia do Norte e intensificou a luta contra o Estado Islâmico.

Mas apelou aos outros países para cooperarem com os Estados Unidos "para conseguir a paz, a segurança e a prosperidade".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG