Tribunal Penal Internacional abre inquérito interno à morte de Slobodan Praljak

Praljak suicidou-se em tribunal depois de beber veneno

O Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia (TPIJ) abriu hoje um inquérito interno sobre a morte do ex-chefe militar dos croatas bósnios Slobodan Praljak, que se suicidou em tribunal na quarta-feira na sala de audiência após ingerir veneno.

"Para completar o inquérito holandês em curso sobre a morte de Slobodan Praljak, o secretário do TPIJ lançou esta manhã um inquérito independente sobre as operações internas do TPIJ, conforme os procedimentos habituais", anunciou o Tribunal em comunicado.

Este inquérito será liderado pelo juiz Hassan Jallow e vai começar na próxima semana, de acordo com a mesma nota.

Na quarta-feira, o ex-chefe militar dos croatas bósnios Slobodan Praljak morreu, após ingerir veneno quando foi confirmada a sua condenação a 20 anos de prisão pelo tribunal e Haia, noticiaram os media croatas.

Segundos depois de os juízes do TPIJ confirmarem a pena -- por envolvimento numa campanha contra os muçulmanos durante a guerra da Bósnia e de formação de um míni Estado croata nesta ex-República jugoslava --, Slobodan Praljak, gritou "não sou um criminoso de guerra" e, de seguida, tirou uma pequena garrafa do bolso, bebendo o seu conteúdo.

A audiência foi suspensa de imediato e o seu advogado afirmou que o seu "cliente tomou veneno".

O tribunal apresentava nesse dia o resultado do recurso apresentado por Slobodan Praljak e outros cinco ex-dirigentes e chefes militares dos croatas da Bósnia, condenados em 2013 por perseguirem, expulsarem e assassinarem muçulmanos, entre 1992 e 1994.

Dois outros condenados também viram as suas sentenças confirmadas antes de a audiência ter sido interrompida.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG