Tiroteio em hospital na República Checa faz seis mortos. Atacante suicidou-se

Atacante fez pelo menos seis mortos num tiroteio num hospital da cidade de Ostrava, na República Checa, e colocou-se em fuga. Mais tarde foi encontrado morto dentro do carro que usou para fugir

Pelo menos seis pessoas morreram esta terça-feira num tiroteio no hospital da cidade de Ostrava, no nordeste da República Checa, afirmou o ministro da Saúde Adam Vojtech. As autoridades iniciaram diligências para encontrar o autor do ataque, que acabou por ser encontrado no carro que usou para fugir. A polícia informa que o homem suicidou-se quando foi localizado.

O tiroteio ocorreu às primeiras horas da manhã, por volta das 07:00 (06:00 em Lisboa), tendo a polícia evacuado o hospital.

Após o ataque, a polícia divulgou uma imagem do alegado suspeito, pedindo a cooperação da população, apelando para que tenha a máxima cautela. No entanto, mais tarde, informou que se trataria de uma testemunha importante e que estavam à procura de outra pessoa.

O homem terá disparado numa sala de espera do hospital de Ostrava.

O ministro do Interior, Jan Hamacek, afirmou à estação de televisão Ceska Televize que o ataque fez várias vítimas e que uma unidade regional de intervenção policial e uma unidade de intervenção rápida estão no local a fazer várias diligências.

As autoridades receavam que pudessem existir mais ataques e, nesse sentido, foi reforçado o policiamento em alguns locais na República Checa. "Pedido à população paciência e compreensão", referiu a polícia no Twitter.

Polícia conhece a identidade do autor dos disparos

Todos os acessos ao hospital, situado no campus da Universidade de Ostrava, foram encerrados.

"O plano de emergência foi ativado. As instalações do nosso hospital estão fechadas e a polícia está no local desde o início", referiu o diretor do hospital universitário de Ostrava, Jiri Havrlant, citado pela estação de televisão CT24.

O primeiro-ministro, Andrej Babis, confirmou que o ataque aconteceu numa sala de espera da unidade de traumatologia do hospital.

O responsável pela polícia regional, Tomas Kuzel, afirmou que as autoridades conheciam a identidade do atacante e o carro que usou para fugir. "É perigoso", chegaram a adiantar, em conferência de imprensa.

Numa publicação na rede social Twitter, a polícia checa divulgou depois novas imagens referentes ao suspeito do ataque, referindo que se tratava de um homem "armado e perigoso", que fugiu do hospital num Renault Laguna. "Por favor, não tentem detê-lo".

Entretanto, a polícia encontrou o suspeito, que se suicidou, segundo as autoridades. Os motivos do ataque ainda são desconhecidos.

Mais Notícias