Tim Kaine aceita ser 'vice' de Clinton e diz que Trump não é de confiança

Kaine, de 58 anos, fala espanhol fluentemente e é conhecido pelas suas posições equilibradas e especial sensibilidade para com a comunidade latina

O senador norte-americano Tim Kaine aceitou hoje ser o número dois da candidata à Presidência dos EUA pelo Partido Democrata, Hillary Clinton, e disse que Donald Trump, o candidato republicano, não é de confiança.

"Por todos aqueles que sabem que o futuro mais brilhante para o nosso país é o que construímos juntos, e pela minha amiga Hillary Clinton, aceito humildemente a nomeação do meu partido para ser vice-presidente dos Estados Unidos", disse o senador, numa intervenção na convenção nacional do Partido Democrata, que decorre em Filadélfia.

No mesmo discurso, alertou que os norte-americanos "não podem acreditar numa única palavra que sai da boca de Donald Trump".

"Nunca diz como vai fazer todas essas coisas que diz que vai fazer. Afirma simplesmente: 'acreditem em mim'", disse o senador, de 58 anos, que chegou a imitar Donald Trump, provocando risos e muitos aplausos.

Tim Kaine havido sido designado horas antes, pelos delegados do Partido Democrata, como candidato à vice-presidência para as eleições de novembro.

Kaine, de 58 anos, fala espanhol fluentemente e é conhecido pelas suas posições equilibradas e a sua especial sensibilidade para com a comunidade latina.

Antes de Kaine, também o ex-presidente da câmara de Nova Iorque Michael Bloomberg falou na convenção, tendo pedido o voto em Clinton para travar o "perigoso demagogo" Donald Trump, que considerou uma ameaça para os Estados Unidos.

"Por vezes estou em desacordo com Hillary Clinton. Mas sejam quais forem os nossos desentendimentos, vim aqui dizer que temos de os pôr de lado pelo bem do nosso país. Temos de nos unir em torno de uma candidata capaz de vencer um perigoso demagogo", afirmou.

Por outro lado, o vice-presidente dos EUA, Joseph Biden, disse aos delegados que a eleição de Clinton para a Casa Branca "mudará as vidas" das filhas e netas de todos os norte-americanos.

"Sei aquilo que a apaixona [a Clinton]. Conheço-a", disse Biden, que também atacou Trump, considerando-o o aspirante à Casa Branca mais mal preparado da história, sobretudo para ser responsável pela segurança nacional.

Para Biden, o candidato do Partido Republicano à Casa Branca "não sabe nada", é "racista", defende a tortura e promove a intolerância religiosa.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG