"Temos problemas suficientes com a Coreia do Sul". Trump critica filme vencedor dos Óscares

Durante um comício na cidade de Colorado, esta quinta-feira, o presidente dos EUA aproveitou para falar sobre as escolas da Academia nos Óscares, criticando a vitória do filme sul-coreano Parasitas. Nâo ficou sem resposta.

"A propósito, quão maus foram os prémios da Academia este ano? Viram?". Foi assim que o presidente dos EUA abriu o seu monólogo junto aos republicanos, esta quinta-feira, durante o comício da sua campanha na cidade de Colorado, onde comentou os resultados da mais recente edição dos Óscares. Donald Trump teceu duras críticas ao filme sul-coreano Parasitas, vencedor de melhor filme, um retrato sobre a luta de classes, a pobreza de uns e a riqueza de outros. A distribuidora do filme não ficou indiferente e respondeu ao presidente norte-americano, escreve a BBC.

"E o vencedor é... um filme da Coreia do Sul. Que raio foi aquilo? Temos problemas suficientes com a Coreia do Sul no comércio. Ainda lhe dão o prémio de melhor filme do ano", lança Trump. E pede: "podemos fazer regressar E Tudo o Vento Levou, por favor?". O drama clássico de 1939 bateu recordes de vitórias na 12.ª edição dos Óscares, em 1940, com dez troféus (dois deles honorários) entre as treze categorias para o qual estava nomeado. Apesar do número de estatuetas que arrecadou, o filme recebeu várias críticas pelo recurso a estereótipos racistas e à nostalgia pela escravidão.

Ou E Tudo o Vento Levou ou o Sunset Boulevard - Crepúsculo dos Deuses, acrescenta o presidente. "Tantos filmes magníficos", continua.

As declarações de Donald Trump impulsionaram a resposta da distribuidora americana do filme de Bong Joon-ho, Neon, recorrendo à ironia para o criticar: "Compreensível, ele não sabe ler".

Mais Notícias