Taiwan. Parlamentares atiram vísceras de porco uns aos outros

Legislação que permite a importação de carne de porco dos Estados Unidos, animais criados com ractopamina, um aditivo de ração proibido em muitos países, está a levantar enorme controvérsia no território.

As cenas de luta no parlamento de Taiwan são cíclicas - e podem envolver cenas de pugilato ou cadeiras a voar -, mas os parlamentares do território também são dados a lutas mais imaginativas. Desta vez, e com a discussão centrada num aliviar das restrições à importação de carne de porco dos Estados Unidos, os membros de parlamento fizeram o que se poderia chamar de 'intervenção temática", com os deputados da oposição a atirarem vísceras de porco aos membros do partido de governo. Com alguma troca de agressões pelo meio.

Segundo a CNN, que cita a televisão estatal de Taiwan, a polémica deveu-se à decisão da presidente Tsai Ing-wend de permitir a importação de carne de porco com ractopamina, um aditivo para ração animal que potencia linhagens genéticas magras, de crescimento rápido, e que é proibido em muitos países - casos da China e de toda a União Europeia.

Tsai, também líder do Partido Democrático Progressista, o partido no poder, anunciou em agosto que a importação será permitida a partir de 1 de janeiro de 2021. "Sei que há diferenças de opinião no nosso país, mas isto é um problema que qualquer partido político tem de enfrentar. A importação de carne americana permitirá maior escolha no mercado, as pessoas não são obrigadas a comê-la", disse então.

Já o Kuomintang (KMT), na oposição, bem como as associações de consumidores e os criadores de gado em Taiwan acusam os responsáveis políticos de estar a vender a saúde dos taiwaneses em troca de uma aproximação aos Estados Unidos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG