Suécia detém uma pessoa suspeita de espionagem para a Rússia

As autoridades suecas detiveram uma pessoa suspeita de espionagem para a Rússia, após ser recrutada por um agente dos serviços secretos russos para realizar "atividades ilegais contra a Suécia", anunciou esta quarta-feira a agência sueca de segurança interna.

O responsável pela unidade de contra-espionagem da agência, Daniel Stenling, disse que a pessoa em causa "trabalha na indústria sueca de tecnologia de ponta" e tem acesso a "informação suscetível de interessar a serviços secretos estrangeiros".

Num comunicado emitido esta quarta-feira, Stenling disse que a sua agência está a trabalhar neste caso "há muito tempo" e que o crime durava pelo menos desde 2017.

O suspeito agora detido foi recrutado por um agente dos serviços secretos russos que trabalha para a embaixada russa na Suécia sob cobertura diplomática, acrescentou.

O suspeito foi detido na terça-feira à noite numa reunião no centro de Estocolmo.

Segundo uma fonte citada pelo diário Expressen, uma segunda pessoa foi brevemente detida na mesma operação, mas libertada após invocar a sua imunidade diplomática.

Os serviços secretos externos da Rússia não quiseram comentar o caso.

Numa nota publicada em julho do ano passado, os serviços de segurança suecos consideraram mais elevada do que nunca a ameaça colocada por serviços secretos estrangeiros contra os interesses da Suécia.

"A Rússia é o país que representa a maior ameaça contra a Suécia em matéria de serviços secretos", disse nessa altura Daniel Stenling.

A Suécia preocupa-se em particular com tentativas de influenciar o debate público e as eleições, através, por exemplo, da organização de campanhas de desinformação nas redes sociais.

Mais Notícias