Steve Bannon banido do Twitter por incitar à decapitação de Fauci

Ex-conselheiro de Donald Trump punido por redes sociais após ter incitado à violência contra o maior especialista dos EUA em doenças infecciosas e também contra o diretor do FBI. "As suas cabeças serviriam de aviso" para os restantes funcionários federais, invocou no seu podcast

O Twitter anunciou esta sexta-feira que baniu permanentemente uma conta criada pelo ex-conselheiro de Donald Trump, Steve Bannon, depois de este ter pedido a decapitação de Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, e do diretor do FBI, Christopher Wray, e que as suas cabeças fossem penduradas fora da Casa Branca como um "aviso"..

A conta @WarRoomPandemic foi "permanentemente suspensa por violar as Regras do Twitter, especificamente a nossa política sobre a glorificação da violência", disse em comunicado a plataforma de rede social.

Antes de a conta ser bloqueada, Bannon divulgou um vídeo com o último episódio do seu podcast War Room, no qual aparece a sugerir a decapitação de Fauci e Wray como "um aviso aos burocratas federais".

"O segundo mandato deveria começar com a demissão de Wray, de Fauci ... não, na verdade, quero até dar um passo à frente, mas o presidente é um homem de bom coração e um homem bom", disse Bannon.

"Na verdade, gostaria de voltar aos velhos tempos da Inglaterra de Tudor. Eu penduraria as suas cabeças e colocava-as em dois cantos da Casa Branca como um aviso para os burocratas federais: ou você segue o nosso programa ou você vai embora ".

Um vídeo com a mesma mensagem também foi removido do YouTube, disse a plataforma do Google.
"Removemos este vídeo por violar nossa política de incitação à violência. Continuaremos vigilantes enquanto aplicamos nossas políticas no período pós-eleitoral", disse o porta-voz do YouTube, Alex Joseph, em comunicado.

O YouTube, no entanto, não baniu a conta, invocando antes que a plataforma estava a aplicar uma regra de "três avisos" . O canal de Bannon ainda está ativo, mas fica impedido de enviar novos conteúdos por uma semana.
O mesmo vídeo ficou no Facebook por cerca de 10 horas antes de também ser removido.

As posições de Bannon reforçam uma preocupação crescente com o risco de violência após as eleições nos Estados Unidos, por entre a retórica altamente inflamatória de Trump e dos seus aliados, que alegaram que os democratas estão a tentar "roubar a eleição".

Bannon, um ex-conselheiro de Trump, foi expulso da Casa Branca em 2017 após frequentes confrontos com outros conselheiros da Casa Branca.

No início deste ano, Bannon foi preso por aelgada fraude em relação a doadores de uma campanha de arrecadação de fundos para o muro da fronteira com o México. Foi acusado de cometer fraude eletrónica e também de lavagem de dinheiro.

Os procuradores acusaram Bannon de ter desviado mais de 25 milhões de dólares com a campanha de crowdfunding online conhecida como "Nós Construímos o Muro" .

Mais Notícias

Outras Notícias GMG