Soldado "zangado com disputa de terras" fez 20 mortos. Continua a monte

Ataque começou num quartel. O atirador dirigiu-se depois para o centro da cidade, disparando sobre as pessoas. Polícia tailandesa garante que já controla o centro comercial onde se pensou que o homem manteria 16 pessoas reféns. Mas não esclarece o seu paradeiro.

Subiu para 20 o número de vítimas mortais do soldado tailandês que, este sábado, disparou indiscriminadamente sobre civis em Nakhon Ratchasima, cidade a nordeste da Tailândia, a cerca de 250 quilómetros da capital, Banguecoque. A polícia tailandesa garante ter o centro comercial, onde o homem se barricou e onde terá chegado a manter 16 pessoas reféns, sob controlo.

Dezenas de clientes aterrorizados foram retirados do popular centro comercial e, segundo o ministro da Saúde, Anutin Charnvirakul, não existem mais corpos no interior do edifício.

Charnvirakul disse que pelo menos 20 pessoas foram mortas e 31 foram feridas pelo atirador, que a polícia descreveu como um soldado zangado devido a uma disputa de terras. O anterior balanço, do Ministério da Defesa, dava conta de 20 mortos e 14 feridos.

No assalto ao centro comercial, um polícia morreu, segundo avançou a televisão local.

O ministro da Saúde não indicou se foi encontrado o atirador.

De acordo com a AFP, que cita fontes policiais, o ataque começou num quartel quando o homem, identificado como o sargento Jakrapanth Thomma, começou a disparar, matando três pessoas, uma das quais o comandante da sua unidade. "Roubou um veículo do exército e dirigiu-se para o centro da cidade", afirmou à agência o tenente-coronel Mongkol Kuptasiri. Media locais estão a acrescentar que terá levado armas do arsenal do quartel.

"O atirador utilizou uma metralhadora para atirar sobre vítimas inocentes", acrescentou à AFP um porta-voz da polícia tailandesa.

Fotografias e vídeos a circular nas redes sociais mostram um ambiente de pânico numa das principais vias da cidade, conhecida como Korat, com pessoas a fugir enquanto se ouve o som de disparos sucessivos.

De acordo com um canal de notícias local, Thairath, o suspeito dirigiu-se a um centro comercial e atirou indiscriminadamente contra as pessoas no local. Também foi registada uma explosão nas imediações do centro comercial, que se terá devido a disparos contra uma garrafa de gás. O ataque ocorreu ao final da tarde, cerca das nove da manhã deste sábado em Portugal.

A polícia tailandesa evitou pronunciar-se sobre os possíveis motivos deste ataque, com as agências internacionais a indicarem que o presumível atirador tem publicado nas redes sociais várias mensagens de teor político e de vingança contra as forças militares.

A Tailândia tem uma das maiores taxas do mundo de posse de armas, mas ataques armados de soldados sobre civis são raros, acrescenta a AFP. Mas o país registou, nos últimos anos, vários casos de tiroteios em tribunais que acabaram com vítimas mortais.

[Em atualização]

Mais Notícias